in

URGENTE: antes de greve, Bolsonaro recua, e cancela cortes na educação

Reprodução / NBR
Publicidade

Um dia antes da greve geral, prevista para ocorrer em 26 estados e no Distrito Federal, nas escolas e Universidades, o presidente Jair Bolsonaro decidiu recuar, cancelando o corte anunciado no Ministério da Educação.

Publicidade

Ao que tudo indica, a ordem dada pelo presidente foi feita de forma direta ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, por meio de uma ligação telefônica. Líderes de quatro partidos, que estavam junto com o presidente no momento da ligação, confirmaram a determinação feita por Jair Bolsonaro, segundo informações repassadas ao portal UOL.

Publicidade

O Delegado Waldir (PSL-GO), líder do partido na Câmara dos Deputados, também confirmou a decisão tomada pelo presidente, fazendo com que o anúncio, a partir de agora, seja tratado como oficial.

Segundo ele, o ministro Abraham Weintraub tentou convencer Jair Bolsonaro a manter a decisão anterior, relativa ao contingenciamento. O presidente, porém, teria afirmado na frente de todos os presentes, enquanto falava ao telefone, que não havia conversa, e a decisão de recuar já havia sido tomada.

Publicidade

Além disso, ficou definido, de acordo com o líder do PSL, que o governo não pretende fazer nenhum corte nas demais pastas, para suprir o montante que não será mais contingenciado do Ministério da Educação.

Ainda não se sabe qual será a maneira que o governo irá utilizar para informar a decisão para a mídia. Algumas possibilidades foram evocadas, tais como: anúncio via redes sociais pelo próprio presidente; declaração pelo ministro da Educação no plenário da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (15); ou que o MEC convoque uma entrevista coletiva com a imprensa.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.

Cuca revela que São Paulo deve ganhar dois reforços antes da Copa América

Professora que vai virar filme enganou todo mundo e até diploma de Harvard é falso