in

Terremotos deixam moradores do Ceará em pânico; foram mais de mil tremores

Uol/Montagem-Russel
Publicidade

A terra tremeu na região de Quixeramobim, que fica no interior do estado do Ceará, foram mais de mil abalos sísmicos nos últimos 60 dias e muitas casas já apresentam trincas e rachaduras. Alguns proprietários que reformaram seus imóveis notaram que o problema voltou a acontecer e não sabem o que fazer agora.

Os moradores estão em pânico, mas as autoridades alegam que não há motivo para se preocuparem e até foi disponibilizado um serviço para atender estas pessoas e explicar o que está acontecendo.

No dia 18 de março foi registrado o primeiro tremor e as pessoas se assustaram, mas acharam que seria algo passageiro e não teriam que vivenciar aquela situação novamente. Só que os tremores continuaram e até nesta última quinta-feira (02), mais de mil eventos já foram captados, ou seja, uma média de mais de 20 mil tremores de terra todos os dias.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

O sismólogo Eduardo Menezes informou que eventos assim são chamados de ‘enxames sísmicos’, mas não soube informar se há previsão disso parar nos próximos dias ou se a situação tende a agravar.

Moradores alegam que mesmo que estes tremores não fiquem mais fortes, o simples fato deles acontecerem diariamente é muito ruim e as pessoas estão tendo a rotina mudada para pior.

O estudioso explicou que a região é sismicamente ativa, então é comum que haja pequenos abalos, mas o que é de se estranhar neste caso é a frequência com que estão acontecendo. Ele ainda afirmou que estes tremores poderão durar dias, meses ou até mesmo anos, ou seja, a população terá que se acostumar ou então se mudar porque não há nada que possa ser feito.

Publicidade
Publicidade
Russel

Escrito por Russel

Sempre ligado a tudo que acontece no Brasil e no mundo, estou sempre trazendo as últimas notícias sobre o mundo dos famosos, reality shows, filmes, músicas, novelas e programas de televisão de um modo geral. Aqui você ficará sempre muito bem informado. Se quiser entrar em contato, fique à vontade: [email protected]