in

‘Iremos investigar e descobrir’, diz delegado sobre morte de Carol Bittencourt

Instagram Caroline Bittencourt / Corpo de Bombeiros
Publicidade

A morte da modelo Caroline Bittencourt comoveu o Brasil nesta semana. O corpo da mulher de 37 anos foi encontrado nas águas do mar do litoral norte de São Paulo, na tarde de segunda-feira (29). Carol estava desaparecida desde o dia anterior.

Ela e o marido, o empresário Jorge Sestini, andavam de lancha quando a embarcação foi atingida pelos fortes ventos. A modelo teria sido jogada do barco pela rajada de vento. Jorge pulou no mar para salvá-la, mas não conseguiu. Ele foi resgatado por um marinheiro depois de nadar por três horas.

O caso parecia resolvido, já que, no mesmo dia, diversas embarcações foram atingidas pelo vento. A polícia trata o caso como acidente, mas está investigando para saber exatamente o que aconteceu.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

“Decidimos dar um tempo maior para ouvir a família em respeito a dor deles. Tratamos o caso como um acidente, porque não foi a única embarcação que sofreu com a tempestade daquele dia”, explicou Wanderley Pagliarini, delegado que está à frente do caso.

O responsável pela investigação foi além. “Durante o inquérito se aparecer algo a mais, iremos investigar e descobrir“, afirmou, em entrevista ao G1. A polícia aguarda o laudo do IML, que apontará se ela morreu ou não afogada. Caso sim, o caso fica praticamente solucionado. Do contrário, pode haver reviravoltas.

Caroline Bittencourt tinha 37 anos e uma vida profissional ativa. Por conta disso, ela e o marido – eles se casaram em janeiro – não viajaram em lua de mel e haviam adiado o momento para julho deste ano.

Publicidade
Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!