in

Conheça três casos de transexuais que cortaram órgão, se arrependeram e voltaram a ser homens

SuperPOP
Publicidade

Robert Diego é um jovem que acabou tomando uma decisão em sua adolescência, quando notou que não queria ser o homem como nasceu. Aos 18 anos de idade, Robert começou uma transição e se tornou um travesti.

Publicidade

Como uma mulher travesti ainda não operada, Robert mudou seu nome para Sabrina e foi para a Europa, onde se prostituiu e recebeu muito dinheiro. Com 24 anos de idade, o jovem decidiu pegar todas suas economias, cerca de R$ 65 mil, e viajou para a Tailândia, em busca da transição de sexo.

Publicidade

A cirurgia foi um sucesso e, após tomar muitos hormônios, Robert conseguiu novos documentos com o nome de Sabrina. Entretanto, após diversos namorados e dois noivados, Sabrina se arrependeu da sua decisão às vésperas de um noivado.

Em uma depressão profunda, Sabrina voltou ao Brasil, desistiu do casamento, e decidiu voltar a ser Robert. Chegando ao Brasil, o jovem cortou o seu cabelo, retirou as próteses de seios e tomou hormônios de testosterona.

Publicidade

Hoje, Robert é visto como exemplo de arrependimento da cirurgia de mudança de sexo. A cirurgia não é reversível e o jovem ficou com um órgão que, segundo o próprio, se parece com o genital feminino, mas não é.

Segundo caso

A mesma reportagem que mostra Robert, de setembro de 2018 do Domingo Espetacular, traz outras histórias semelhantes também. Como a de um senhor que fez a cirurgia, se tornou Laura, mas afirma que perdeu tempo e que se auto-mutilou.

Hoje, Laura voltou a as ser Walt, porém também sofre com o mesmo problema do Robert Diego, que não consegue mais ter seu órgão masculino de volta

Terceiro caso

O portal do R7 mostrou, em 2012, uma matéria sobre um turco. O site publicou nas redes sociais em busca de um implante de um pênis de defunto, pois quer voltar a ser homem novamente, após se arrepender da cirurgia.

Este só se identifica pelas iniciais D.K. e conta que tomou a pior decisão de sua vida em 2003, agora estando em busca de uma reversão, que no momento não é cientificamente possível.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Bruno Avila

Escritor de futebol e política desde 2016, quando comecei o trabalho na Blasting News. Hoje migrei ao 1News e sou um dos escritores mais lidos do site.