in

Paula, do BBB19, não deve ir para a cadeia mesmo que seja condenada por intolerância

Reprodução / TV Globo
Publicidade

Vencedora do Big Brother Brasil 19, Paula foi indicada no caso de intolerância religiosa ocorrido dentro da casa mais vigiada do Brasil. A advogada fez comentários considerados ofensivos à religião de Rodrigo França.

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI) concluiu que Paula foi preconceituosa ao tecer comentários durante uma conversa com Hariany e Maycon dentro da casa mais vigiada do Brasil.

O inquérito será encaminhado à Justiça na próxima quarta-feira (24). O delegado Gilbert Stivanello explicou que o Ministério Público vai pegar o relatório conclusivo, analisar as provas e o promotor decide qual o próximo passado. As opções são: arquivar o processo, pedir novas diligências ou fazer a denúncia.

Publicidade

Neste caso, é aberto um processo criminal. Nesta situação, imaginando que Paula seja condenada após todo o processo, a pena varia de um a três anos de reclusão e multa. O delegado explicou que há outras medidas aplicáveis que não sejam a prisão.

Publicidade

Imaginando o pior cenário para Paula, que seria a condenação por três anos, mesmo assim ela não iria para a cadeia. Condenações de até quatro anos, quando a pessoa não é reincidente, é cumprida no regime aberto, de acordo com o Código Penal Brasileiro. Nesta situação, o detento trabalha e faz cursos durante o dia e à noite dorme na própria casa ou em casa de albergado.

Os fãs de Paula acreditam que ela será inocentada. Já os aliados de Rodrigo, Hana e companhia parecem torcer para que a loira seja condenada. A Justiça é quem vai definir, baseada na lei.

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br