Afronta? Globo ‘obriga’ atores a favor de Bolsonaro a virarem gays por audiência

Leia também

Ronaldinho desembolsa milhões e deixa cadeia no Paraguai pela porta da frente

Ex-craque do futebol mundial e seu irmão, Roberto Assis, deixarão prisão no Paraguai.

Bebê nasce com cara de brava e pais se divertem: ‘não queria nascer na quarentena’

Criança nasceu em meio à pandemia do novo coronavírus e vira sensação nas redes sociais.

Maicon recorda imitação de galinha contra o Corinthians: ‘eu faria de novo’

Ex-zagueiro do Tricolor recebeu ameaças contra seu pai e sua mãe após gesto em clássico.

Gabigol abre o jogo sobre contratação de Neymar pelo Flamengo

Atacante do Flamengo falou que apoia contratação de camisa 10 da seleção brasileira.
Fernando B
As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.
Publicidade

Durante a última campanha eleitoral, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, recebeu o apoio de muitas pessoas famosas. Entre elas, estão os atores da Globo Malvino Salvador e Caio Castro. Eles estão na lista dos ‘acusados’ de darem apoio ao capitão da reserva. Direta e indiretamente, eles apoiaram uma mudança no Palácio do Planalto que ajudou o líder do PSL a chegar ao poder. 

Mas agora, para surpresa geral do público, Caio Castro e Malvino Salvador vão ter que se “pegar” na nova novela das nove da Globo. Em busca de audiência, a TV Globo escalou a dupla de galãs para viver um casal homossexual. É a primeira vez que os atores encaram esse tipo de personagem na televisão. 

Publicidade

Escolha de atores para casal gay divide público

A decisão, no entanto, segundo um famoso site que cobre o mundo da televisão, irritou algumas entidades que defendem os direitos dos gays. Isso porque tem gente que não está aceitando dois atores héteros, que apoiaram Bolsonaro,  agora vivendo homossexuais. 

Publicidade

A estreia da dupla acontecerá agora no final do primeiro semestre,  quando entra no ar a novela ‘A Dona do Pedaço’. O folhetim será protagonizado pela atriz Juliana Paes, que já grava os episódios da história. 

Publicidade

Há ainda quem defenda que os papéis de minorias devem ser dados às próprias minorias, que não apoiam Bolsonaro, sofrem preconceito e acabam não sendo chamadas para atuar, muitas vezes. Segundo a comunidade, a Globo continua colocando heterossexuais nesse posto, ao invés de contratar e pagar atores gays.

Segundo outro telespectador, os atores em questão “não têm um posicionamento político exatamente alinhado com a comunidade gay”.