in

Mulher que salvou motorista em acidente com Boechat pode entrar para a política e já tem partido

Reprodução / Record TV
Publicidade

A imagem de Leiliane Rafael da Silva tentando salvar um caminhoneiro no acidente que envolveu o helicóptero onde estava o jornalista Ricardo Boechat, da Band, rodou o Brasil. O caso aconteceu no dia 11 de fevereiro e Leilane virou a heroína do caso.

Ela passava pela Rodovia Anhanguera de moto, acompanhada pelo marido, quando decidiu agir. Ela ainda queria salvar Boechat, mas foi impedida porque o helicóptero pegou fogo. Quase dois meses depois do episódio, Leilane está novamente em evidência.

Na sexta-feira (5), ela foi convidada para ser candidata a vereadora na cidade de São Paulo pelo Partido da República (PR). As eleições para prefeito e vereador acontece em 2020 e os partidos buscam trunfo para garantir milhões de votos.

Publicidade

“Conversamos a respeito do cenário político atual e da importância da participação feminina nesta área. Ouvi um pouco a trajetória de vida dela e estendi o convite para a candidatura. Ela ficou muito feliz com a parceria e disse que acredita na possibilidade de uma candidatura”, explicou Joel Batista, presidente do partido na cidade de São Paulo. Leilane afirmou que se candidatando e se elegendo poderia fazer mais pelo Brasil.

Publicidade

Atualmente, Leiliane faz tratamento médico. Ela tem uma malformação arterivenosa (MAV). Este problema é caracterizado pela alteração na formação dos vasos sanguíneos no cérebro. Dois dias depois de ajudar o caminhoneiro na rodovia, ele recebeu ajuda do programa Balanço Geral, da Record TV.

Ela está em tratamento com o médico Feres Chaddad Neto, especialista no caso e professor de neurocirurgia da Unifesp.

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br