in

Professora revela que era forçada a falar bem do PT na escola: ‘me xingavam’

Reprodução: Facebook MBL
Publicidade

Uma professora, que não teve seu nome identificado, foi gravada por um companheiro em uma reunião desabafando sobre uma situação que viveu durante um período na escola em que trabalhava. Ela disse que dava aulas de inglês, mas que era forçada a falar bem do Partido dos Trabalhadores (PT).

A professora de inglês afirma que uma superintendente a perseguiu durante quatro anos, em que levava uma pasta sobre tudo do PT para a escola. Por não concordar com a situação, a lecionadora contou que era chamada de ‘fascista’ e outros xingamentos.

Hoje, a superintendente deixou o cargo e a professora de inglês agradeceu por a retirarem da ‘ditadura petista’ que a escola viveu durante quatro anos. O vídeo repercutiu muito nas redes sociais após o compartilhamento do Movimento Brasil Livre (MBL).

Publicidade

Professora desabafa sobre ditadura petista nas escolas!

Professora desabafa sobre ditadura petista nas escolas!

Gepostet von MBL – Movimento Brasil Livre am Samstag, 30. März 2019

Até o momento, o vídeo já conta com quase 8 mil compartilhamentos, 615 comentários e 5.800 curtidas. No entanto, pode ser afirmado que o vídeo ‘bombou’ nas redes sociais, já que foi postado no dia 30 de março.

Publicidade

No título, o MBL denominou como ‘Professora desabafa sobre ditadura petista dentro das escolas’. Lembrando que o MBL é um movimento que já tem mais de 3 milhões de curtidas no Facebook e diversos seguidores em outras redes sociais.

O MBL, nas eleições de 2018, elegeu dois representantes a cargos consideráveis no poder legislativo. Um foi o Arthur Moledo Val para o cargo de deputado estadual e o outro foi o Kim Kataguiri para deputado federal, ambos na eleitos na capital paulista.

Bruno Avila

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: brunoavilaprof@outlook.com