in

Neto do ex-presidente Lula não teria morrido de meningite meningocócica

Revista Fórum
Publicidade

Segundo o deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) o neto do ex-presidente Lula, de 7 anos,  que faleceu no dia primeiro de março, não morreu de meningite meningocócica.

O parlamentar havia entrado com requerimento de informação no dia em que Arthur faleceu devido ao vazamento da morte da criança, que ocorreu às 12h11. Às 12h20, a notícia do falecimento já havia sido publicada acompanhada da informação de que a causa da morte seria meningite.

De início, Alexandre Padilha pretendia confirmar as informações dadas na notícia da morte com o requerimento que encaminhou ao hospital e ao Conselho Regional de Medicina. Mas em conversa com familiares, Padilha se interou de detalhes da morte e foi informado de que a família teria duvidas em relação ao motivo que levou o menino a falecer.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Para a médica que acompanhou o caso, a tomografia da criança não apontava para meningite e o liquido cefalorraquidiano também não apresentava qualquer vestígio da bactéria causadora da doença.

Médico infectologista formado pela USP, Alexandre Padilha optou por solicitar ao hospital um diagnóstico completo no Instituto Adolfo Lutz.

O Arthur não morreu de meningite meningogócica. Não posso dizer do que ele morreu, porque a divulgação disso é uma decisão da família. Mas posso afirmar do que não foi. O agente etiológico não é o meningococo”, disse o deputado.

No dia do falecimento, a morte foi divulgada no O Globo apenas nove minutos após a confirmação da morte pelo hospital. Desta vez apenas a família poderá divulgar a causa da morte se assim o quiser.

Publicidade
Publicidade
Higor Mendes

Escrito por Higor Mendes

Corretor de Imóveis, cursou até o 3º semestre de Engenharia de Pesca na Universidade Federal Rural da Amazônia e atualmente é graduando em História na UNP. Apaixonado por História da Segunda Guerra Mundial, Política, Futebol e curiosidades em geral.