in

Tragédia em SP: incêndio atinge favela onde moravam 66 crianças; vídeos são desesperadores

Reprodução / Twitter KKU / Twitter SP sobre Trihlso / Twitter Viu online
Publicidade

A Favela do Cimento, localizada no entorno do viaduto Bresser, na Mooca, zona leste da cidade de São Paulo, foi atingida por um incêndio na noite deste sábado (23). O incidente ocorreu a poucas horas de uma reintegração de posse que estava marcada para as 5h deste domingo.

O Corpo de Bombeiros foi chamado para atender a ocorrência. Pelo Twitter, a corporação informou às 20h30 que 19 viaturas estavam no local. Ao todo, 66 homens trabalhavam para controlar o incêndio e eram aguardadas mais informações do local.

A princípio, não havia informações de vítimas fatais. De acordo com dados da Prefeitura de São Paulo, 215 pessoas moram no local. Incluindo aí 66 crianças. Nas redes sociais, o assunto passou a bastante comentado e muitos internautas acharam estranho o incêndio acontecer no dia anterior à reintegração de posse.

Publicidade

Mas que ‘coincidência’. A reintegração de posse estava marcada para amanhã, domingo! Que ninguém tenha se ferido“, comentou uma internauta. “O cheiro da fumaça aqui nos prédios da região está terrível. Ainda bem que não há vítimas“, informou outra pessoa.

Publicidade

A reintegração de posse foi determinada pela Justiça. Nos últimos dias, a prefeitura se reuniu com os moradores para audiências de conciliação. O encontro foi realizado na 13ª Vara da Fazenda Pública da Capital.

De acordo com a prefeitura, famílias que aceitarem acolhimento serão transferidas para algum da rede de assistência da administração municipal. Os pertences dos moradores da Favela do Cimento serão encaminhados a um depósito e ficarão no local por tempo indeterminado.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br