in

Maduro ameaçado de queda após Bolsonaro anunciar apoio bélico dos EUA em encontro épico

Erin Scott/Reuters
Publicidade

Durante sua visita à capital Washington, o presidente Jair Bolsonaro, em seu discurso proferido com a duração de aproximadamente dez minutos, anunciou que o Brasil conta com a parceria e potencial militar dos Estados Unidos, a fim de que possa haver a libertação do povo venezuelano da tirania do ditador Nicolás Maduro.

Durante um encontro que contou a presença de empresários e investidores, em uma reunião na Câmara de Comércio Brasil/Estados Unidos, Jair Bolsonaro declarou que é fundamento contar com toda a capacidade econômica e bélica dos americanos para se obter êxito na resolução dos problemas da Venezuela.

Afirmando que o povo do país latino-americano precisa ser libertado, o presidente declarou que conversas bilaterais entre os dois países estão sendo feitas no sentido de trabalhar em conjunto para a efetivação de planejamentos comuns e benéficos para as duas nações soberanas.

Publicidade

Funcionários do governo de Donald Trump já afirmaram de fato haver contato militar entre os dois países, em caminhos de discussão de resoluções que possam se apresentar positivas para a solução do problema enfrentado pela grave crise política da Venezuela.

Publicidade

Entretanto, a posição da ala militar do governo brasileiro sempre se mostrou totalmente contrária a qualquer intervenção no país latino-americano, restringindo-se apenas ao envio de ajuda humanitária na fronteira, sendo totalmente contrária a intervenções bélicas no país.

Após o discurso do presidente Jair Bolsonaro, o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, reafirmou a posição de que o Estado brasileiro segue contrário a qualquer intervenção militar no país comandado por Nicolás Maduro.

Publicidade
Henrique

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.