in

Tragedia! Ciclone deixa mais de 130 mortos, dezenas de desabrigados e cidades destruídas

Dw
Publicidade

O ciclone Idai deixou um rastro de destruição em Moçambique e Zimbábue, são mais de 130 mortos e muita destruição, de acordo com a FICV – Federação Internacional da Cruz Vermelha. Beira, que é a segunda maior cidade moçambicana, ficou 90% destruída e os moradores estão sem saber como conseguirão reconstruir tudo.

A FICV informou que o ciclone foi ‘enorme e aterrorizante’, a cidade que tem cerca de 530 mil habitantes está precisando de tudo, desde alimentos, medicamentos, roupas, água e muito mais.

Na noite desta última quinta-feira (14), o ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique e foi rumo ao Zimbábue, destruindo tudo que encontrava pela frente. Escolas, lojas, casas, hospitais, tudo foi varrido pelo ciclone que prejudicou até uma represa.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Foram dezenas de mortos em Moçambique e Zimbábue, as equipes de resgate trabalham sem parar, foi preciso um esforço conjunto para a identificação dos corpos e como há previsão de fortes chuvas para a região, acredita-se que a situação tende a piorar. De acordo com a Cruz Vermelha, as equipes de resgate estão avançando por toda região, mas se o clima piorar muito será preciso parar as buscas até que o clima melhore.

Jamie LeSueur, da FICV, informou que outro grande problema para as equipes de resgate é que os meios de comunicação foram totalmente destruídos, assim como as estradas, por isso é difícil chegar a locais mais distantes e algumas pessoas estão completamente isoladas.

Uma represa cedeu neste último domingo (17), após ter a estrutura afetada pelo ciclone e chegar a algumas localidades está sendo quase impossível.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Russel

Escrito por Russel

Sempre ligado a tudo que acontece no Brasil e no mundo, estou sempre trazendo as últimas notícias sobre o mundo dos famosos, reality shows, filmes, músicas, novelas e programas de televisão de um modo geral. Aqui você ficará sempre muito bem informado. Se quiser entrar em contato, fique à vontade: [email protected]