Dois alunos, vítimas de atiradores em Suzano, recebem um ‘milagre divino’ e emocionam o país

Leia também

Lembra da cantora do Xibom Bombom? 20 anos após sucesso, segure o queixo ao vê-la hoje

Ex-vocalista de As Meninas, Carla Cristina fala sobre quarentena e surpreende com aparência.

Super doador: homem tem 40 vezes mais anticorpos para o novo coronavírus

Ele ficou uma semana internado lutando contra a Covid-19 e agora pode ajudar muita gente.

Quarentena na Globo: demissões, contratações e um novo programa para Fernanda Gentil

Emissora apostou nas contratações dos ex-BBBs Babu Santana e Rafa Kalimann.

Youtuber famosa causa fúria na web ao devolver filho adotado: ‘como se fosse um pet’

Os seguidores acusaram a famosa de ter usado a criança para conseguir vantagens.
Henrique
Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.
Publicidade

Receberam alta médica na manhã deste sábado (16), mais dois alunos que foram feridos no ataque cometido na Escola Estadual Raul Brasil, localizada em Suzano, interior de São Paulo, na última quarta-feira (13).

Samuel Silva Félix e José Vitor Ramos encontravam-se internados no Hospital Santa Maria, e obtiveram liberação por parte da equipe médica. O primeiro dos rapazes a deixar a unidade de saúde foi Samuel, seguido de José Vitor, o qual foi atingido por um golpe de machado em seu ombro.

Publicidade
Publicidade

Com a liberação dos dois garotos, sobem para seis o número de estudantes que já receberam alta, sendo que cinco ainda continuam internados.

Publicidade

Ao todo, dez pessoas acabaram perdendo suas vidas na fatídica manhã da última quarta-feira. Dentre elas, 8 eram vítimas, sendo os dois óbitos restantes, dos assassinos. Além dos que sofreram ferimentos fatais, outras onze pessoas precisaram ser encaminhadas para hospitais da região.

Publicidade

Histórico do massacre

Durante a pausa para o recreio na Escola Raul Brasil, dois ex-alunos da instituição adentraram ao edifício do colégio, para dar início ao plano do atentado. 

A polícia encontrou próximo aos corpos de G.T.M., de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, um revólver, calibre 38, além de uma besta.

Embora não se saiba a causa real da morte dos dois assassinos, as investigações apontam que possivelmente G.T.M. teria matado Henrique, para depois se matar.

Uma série de homenagens estão sendo feitas pelo país para as vítimas do massacre, o qual causou muito abalo, rendendo repercussão até mesmo internacional.