in

Menino com cabelo black power é proibido de matricular-se em escola e mãe denuncia racismo

Uol

Um menino de 8 anos foi proibido de matricular-se na escola municipal Professora Augusta Maria Costa, na cidade de São José de Ribamar, no Maranhão e o motivo seria o fato dele usar cabelo black power.

Joselma Lima, mãe do garoto, pegou a transferência escolar do filho e na última terça-feira, dia 12, levou até a nova escola, só que chegando lá foi informada pela diretora que seria preciso cortar o cabelo do menino de forma a obedecer o que é padrão na escola. Segundo a funcionária, em momento algum houve racismo.

Era para o garoto ter começado a estudar já nesta semana para não ficar prejudicado, só que diante da recusa da diretora ele ficou sem ir às aulas. O menino está cursando o 3º ano do ensino fundamental e tem autismo, o que agrava ainda mais a situação.

A mãe explicou que foi preciso trocar de escola porque na anterior tinha somente até o 2º ano do ensino fundamental, pois se não fosse isso o filho continuaria estudando onde já estava matriculado, já que lá não havia nenhum problema com o cabelo black power dele.

Fábio Lima, pai do menino, fez questão de ir até à delegacia de São José de Ribamar e registrar um Boletim de Ocorrência, ele denuncia que houve racismo com o filho e agora espera a conclusão do inquérito policial, pois quer levar o caso ao Ministério Público do Maranhão. O pai contou que o filho ficou bastante constrangido e que agora está em pânico, não querendo nem mais ouvir falar em escola.

A família garante que não cortará o cabelo do garoto e se a matrícula vier a ser liberada não irá levá-lo para a escola, pois tem medo que sofra represálias.

Leia Também

Escrito por Russel

Sempre ligado a tudo que acontece no Brasil e no mundo, estou sempre trazendo as últimas notícias sobre o mundo dos famosos, reality shows, filmes, músicas, novelas e programas de televisão de um modo geral. Aqui você ficará sempre muito bem informado. Se quiser entrar em contato, fique à vontade: russelmy@yahoo.com.br

Atirador de massacre em mesquita acredita em supremacia branca e venera Donald Trump

Após STF ‘derrubar’ Lava Jato, Procurador admite que Lula poderá ser livre