in

Coordenadora morta por atiradores em Suzano era ‘a favor do porte de livros’

Reprodução / Facebook Marilena Ferreira Umezu
Publicidade

Passado o tempo do massacre ocorrido em uma escola estadual de Suzano, Região Metropolitana de São Paulo, na manhã de quarta-feira (13), começam a surgir as informações sobre características, atitudes e crenças das pessoas mortas após ataque orquestrado por dois jovens de 17 e 25 anos.

Marilena Ferreira Umezu foi uma das vítimas do massacre da Escola Estadual Raul Brasil. Ela foi a primeira pessoa a ser baleada pelo ex-aluno, G.T.M.. O relato do momento é emocionate.

Ao vê-los, a professora teria sorrido. A resposta foram tiros que tiraram sua vida instantaneamente. Estas são as informações preliminares divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A professora Marilena era muito querida pelos alunos. “As únicas lembranças que tenho são dela sorrindo”, disse o ex-aluno Gustavo Santiago, hoje com 20 anos, em entrevista à BBC. “Entre os professores no Raul Brasil, ela era uma das com quem me dava melhor, uma das professoras mais queridas”, contou o rapaz.

No dia 19 de janeiro, a professora fez uma postagem em seu Facebook sobre livros e armas. “Somos a favor do porte de livros, pois a melhor arma para salvar o cidadão e a educação”, dizia o texto presente na imagem compartilhada pela coordenadora pedagógica do Raul Brasil.

Para tristeza da família e dos alunos, a “tia Marilene” foi uma das oito vítimas dos assassinos G.T.M. e Luiz Henrique. Além dessas oito pessoas, os dois criminosos também morreram. De acordo com informações preliminares, G.T.M., que portava a arma de fogo, teria atirado na cabeça de Luiz Henrique e, logo em seguida, se matado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!