in

Vídeo mostra tio de um dos assassinos desesperado falando sobre o crime

Estadão/G1/ Montagem Rômulo Nogueira

Nesta quinta-feira (14) milhares de pessoas se reuniram em um ginásio de Suzano para velar a morte das vítimas do massacre da escola Raul Brasil. 

A tragédia que fez várias vítimas e marcou o dia 13 de março de 2019, não será esquecido pelos alunos que viveram o caos.

Os familiares compareceram ao velório completamente comovidos e chocados com todo o ocorrido. Em meio a dor e sofrimento, parentes dos assassinos pediram perdão para as famílias das vítimas do atentado.

Um deles foi o tio de Luiz Henrique de Castro, que comovido com a tragédia, falou com a equipe de reportagem e chorou. Completamente abalado, ele não quis nem justificar o que motivou o sobrinho a cometer o ato barbárie contra os alunos da escola Raul Brasil.

Os corpos das vítimas que morreram na tragédia estão sendo velados desde a manhã no ginásio, onde milhares de pessoas já compareceram para prestar sua solidariedade aos familiares que perderam seus entes queridos.

Dória anuncia indenização milionária

Nesta quinta-feira também, o governador de São Paulo, João Dória, declarou que vai dar uma indenização de R$ 100 mil reais aos familiares que perderam seus entes queridos na tragédia. Além disso, foi declarado luto de três dias oficial por conta do massacre da escola Raul Brasil.

A atitude também visa fazer com que as famílias não entrem com um processo contra o governo do estado. Caso optem pela abertura do processo, os parentes terão que abrir mão da indenização.

Quantos aos assassinos que também morreram durante a invasão da escola Raul Brasil, o velório aconteceu separadamente, para não chamar atenção da população, que se revoltou com o caso.

Leia Também

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.

Next post

Reviravolta! Terceiro jovem é envolvido no massacre de Suzano

Vídeo: jovens atiradores de escola em Suzano são enterrados sem velório