in

Policiais atiram e deixam feridos no Carnaval de rua em São Paulo

G1
Publicidade

Neste Carnaval, algumas ações da Polícia Militar aconteceram, principalmente no estado de São Paulo. Muitas críticas aconteceram contra as ações dos militares, já que alguns organizadores de blocos acreditam que a polícia usou força excessiva em vários casos. 

A Defensoria Pública do Estado de São Paulo acatou as reclamações dos blocos e entregará à Secretaria de Estado e Segurança Pública, na tarde desta sexta-feira, dia 8 de março, um documento recomendando que os policiais militares hajam com coerência nos blocos de Carnaval.

A capital de São Paulo é o foco do pedido e a Defensoria sugere que policiais usem megafones, um colete que tenha seu nome visível e que evitem utensílios que tapem suas identificações. Um flagra feito e enviado ao portal de notícias G1 mostra policiais agindo em um bloco da Barra Funda.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

O bloco de rua era o ‘Agora Vai’ e alguns foliões ficaram feridos após os policiais atirarem balas de borracha e bombas de gás pimenta contra as pessoas. Uma denúncia foi feita e um protesto será realizado no dia 16 de março.

Alguns blocos de ruas se reunirão para fazer um desfile contra as ações da PM no Carnaval de São Paulo. O desfile acontecerá na próxima semana e o local não foi definido. A representante do grupo Arrastão dos Blocos, Lira Alli, é uma das organizadoras e afirmou que espera mudanças na conduta dos policiais.

A decisão da Defensoria de enviar o pedido foi tomada após uma reunião de duas horas com representantes dos principais blocos de ruas da cidade de São Paulo. Estes estavam repudiando os usos de balas de borracha e bombas de gás pimenta.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Bruno Avila

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: [email protected]