in

Cristã, Baby do Brasil choca: ‘não quero acabar com o carnaval, quero ajudar e transformar’

Divulgação / GospelPrime
Publicidade

Com um jeito totalmente irreverente, a cantora Baby do Brasil, vem traçando uma trajetória polêmica no meio gospel. Desde a sua conversão, a artista tem um jeito completamente inusitado, muito diferente da maioria dos cantores que estão no meio evangélico .

Quando se converteu, Baby do Brasil abandonou a música secular e optou por gravar apenas músicas religiosas. No entanto, com o passar do tempo, a famosa continua evangélica, porém optou por voltar a fazer apresentações cantando músicas que não tem nada de religiosas.

No ano de 2012, Baby puxou um trio elétrico para o público gospel em Salvador, onde também fazia pregações e orava pelos foliões. Após dois anos, a artista fez uma apresentação ao lado da banda Olodum e da Orquestra Sinfônica baiana em um bloco de carnaval. Na época, a cantora fez uma declaração sobre o assunto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

“Eu gosto de festa porque eu acho que Deus é festa e o Carnaval de Salvador é uma grande festa. E é por isso que estou no carnaval”, disse Baby na ocasião. Neste ano de 2019, a famosa está completando 50 anos de carreira e pela primeira vez comandou um bloco carnavalesco em São Paulo.

Intitulado ‘Bloco da Baby’, a artista levou para as ruas um misto de estilos, incluindo sucessos antigos, músicas religiosas e uma pequena orquestra sinfônica. Segundo uma entrevista que a famosa concedeu à Folha, a cantora abordou o carnaval de uma maneira totalmente diferente da maioria dos evangélicos.

“É preciso pular o Carnaval como criança. Vamos brincar, vamos dançar. Eu não quero acabar com ele, quero ajudar e transformar”, concluiu a pastora. Ela disse que deseja promover uma campanha em prol da endorfina, substancia que é conhecida como o hormônio da alegria.

Em um vídeo que foi divulgado em sua página oficial, Baby aparece orando o ‘pai nosso’ com os foliões.

Publicidade
Publicidade
Publicidade