in

Defesa de Lula sugere acordo para que ele compareça ao enterro de seu neto

Publicidade

Lula da Silva, que está preso em Curitiba, na sede da Polícia Federal, havia solicitado na Justiça a sua soltura temporária, a fim de que ele pudesse comparecer ao velório de seu neto.

Arthur Araújo Lula da Silva, morreu no dia de hoje (01), vítima de miningite meningite meningocócica. A criança, de apenas 7 anos, chegou a dar entrada no hospital às 07h20 e teve a morte registrada 12h11. Ele era herdeiro de Sandro Luís Lula da Silva, filho de Lula.
A meningite meningocócica é uma infecção bacteriana que provoca inflamação entre as meninges – membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal.  

No pedido feito à Justiça, a defesa de Lula sugere um acordo para que ele possa comparecer ao enterro de seu neto, o acordo cita que o Juízo venha a determinar providências específicas que, eventualmente, sejam necessárias para assegurar a presença de Lula no velório, e que o mesmo ainda se compromete, desde logo, por exemplo, a não divulgar qualquer informação relativa ao trajeto que irá ser realizado pelo Peticionário.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

No final de janeiro deste ano, Lula havia sido proibido pela Justiça de acompanhar o enterro de seu irmão, Genival Inácio da Silva, o Vavá, que faleceu vítima de um câncer aos 79 anos. O pedido chegou a ser negado por duas instâncias da Justiça Federal, o motivo alegado foi o risco de manifestações.

Na época, os advogados chegaram a argumentar que, mesmo durante o período de ditadura militar, Lula foi autorizado a sair da cadeia para acompanhar o enterro de sua mãe. Lula chegou a conseguir a permissão minutos antes do enterro de seu irmão, ele decidiu então não ir.

Publicidade
Publicidade
Publicidade