in

Vida em casal x felicidade: psicólogo revela segredo inusitado para ter sucesso no amor

UOL
Publicidade

Já se deparou, alguma vez, com aquele casal de velhinhos, de mãos dadas, que se conheceram quanto você nem era sequer nascido?

Publicidade

Quando isso acontece, é comum jovens casais se inspirarem e até tomarem como meta de vida o fato de chegar naquela idade tão avançada com o relacionamento fortalecido e, é claro, permanecendo juntos.

Publicidade

Encontrar um parceiro ideal e viver uma vida a dois longa e duradoura é um dos objetivos de muita gente. Sempre aparece em reuniões de família aquele tio que diz: “E aí, vai casar quando?” ou “Encomenda os meus sobrinhos logo, casal!“.

Um outro exemplo é o juramento que se faz durante o casamento: “(…) até que morte nos separe“. Ou seja, a sociedade é realmente moldada para esse padrão. Aquele do casal de velhinhos citado no primeiro parágrafo.

Publicidade

O psicólogo Rafael Santandreu, de origem espanhola, gerou polêmica após dizer que esse condicionamento de casamento perfeito e duradouro traz, na verdade, infelicidade. Alegando que essa idealização resulta, na maioria das vezes, em muitas frustrações.

Para Rafael, o ideal é que exista a troca do parceiro de 5 em 5 anos, em média. O psicólogo explica que as pessoas mudam frequentemente, e a vida amorosa deve ser alterada de acordo com estado de cada pessoa naquele momento.

Somos muito reprimidos, principalmente a mulher. Nós pretendemos viver com uma tremenda limitação (quando se trata de intimidades). Com este novo modelo longe da monogamia, resolveríamos todos os problemas de ciúme ou dependência. A principal causa de suicídio no mundo é a falta de amor. A falta de amor! Não é perder o emprego ou uma doença grave
“, afirma o psicólogo, sintetizando sua teoria.

Publicidade

Leia Também