in

Wagner Moura ataca Bolsonaro no lançamento de filme sobre Marighella, mas teme pelo pior

Câmara dos Deputados / TV Globo
Publicidade

O ator e diretor Wagner Moura acaba de lançar, em Paris, o filme que repassa os últimos cinco anos da vida de Carlos Marighella. Para alguns, ele foi um herói na luta contra a ditadura militar. Para outros, foi um terrorista integrante do Partido Comunista do Brasil (PC do B).

Publicidade

Marighella foi morto por agentes do Exército Brasileiro. Na entrevista concedida a um grupo de jornalistas, Wagner Mouro falou sobre o filme e também sobre o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que havia criticado o filme antes mesmo de seu lançamento.

Publicidade

Não quero que este filme seja uma resposta a Bolsonaro. Mas certamente é um dos primeiros produtos culturais abertamente contrários ao que ele representa“, afirmou Moura, que em outros momentos da entrevista faz referência ao fascismo. Bolsonaro é chamado pela oposição de fascista.

Apesar de toda a empolgação da esquerda em torno do filme, Wagner Moura teme pelo pior no Brasil. O diretor afirmou que está preparado até para ser agredido durante exibições do filme no país. O ator afirmou que está preparo para tudo, inclusive que as pessoas vaiem, joguem lixo na tela e até o agridam fisicamente..

Publicidade

Mas a estreia do filme no Brasil ainda é uma incógnita. “Quero que o filme saia o quanto antes. Mas é um problema. As distribuidoras não tem data, têm medo da reação do governo. O fato de estar na Berlinale e de atrair atenção internacional deve facilitar as coisas“, comentou Wagner.

No filme, Marighella, que era branco, é interpretado pelo cantor Seu Jorge, que é negro. Bolsonaro não fez mais nenhum comentário sobre o filme depois do lançamento, mas há comentários antigos em seu Twitter contra Marighella, a quem ele costuma chamar de terrorista.

Vale lembrar que Bolsonaro é capitão da reserva do Exército; e Marighella sempre foi visto como comunista inimigo das Forças Armadas.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Palmeiras aceita vender Alejandro Guerra por valor pífio

Laura Cardoso estaria causado preocupação em família, e colunista revela motivo