in

9 momentos que comprovam a crise de Bebianno no governo Bolsonaro

G1
Publicidade

Depois de se envolver com o escândalo do ex-assessor do Senador Flávio Bolsonaro, Fabricio Queiroz, que foi investigado pelo Coaf por movimentações financeiras atípicas, o governo agora se envolve em mais uma narrativa de possível repasse ilegal de dinheiro.

Publicidade

As supostas candidaturas laranjas que atingiram o partido do PSL durante as eleições passadas teve o nome de Gustavo Bebianno colocando nas principais discussões sobre o caso.

Publicidade

O secretário geral da presidência já atuou como coordenador-geral da campanha eleitoral de Bolsonaro nas eleições passadas e braço direito do então candidato à Presidência, pois, na ocasião, o presidente ainda não havia sido eleito.

O portal UOL fez o levantamento de 9 pontos chaves da nova crise vivida pelo governo do atual presidente da República Jair Bolsonaro.

Publicidade

1- Primeiras denúncias contra o PSL

No dia 10 de fevereiro, uma reportagem da Folha de São Paulo, mostrou que o grupo de Luciano Bivar, atual presidente do PSL teria criado uma deputada laranja, que recebeu R$ 400 mil do partido de dinheiro público. Maria de Lourdes Paixão, de 68 anos, foi a terceira maior beneficiada tendo recebido apenas 274 votos.


2- Bebianno e Bivar no empurra-empurra 

Depois da denúnci, uma crise entre os dois se instaurou. Bivar alegou que Bebianno foi quem aprovou o uso do dinheiro, mas em entrevista a Rádio CBN ele negou.

3- Recado dado por Mourão 

Mourão alegou que o problema envolvendo o PSL está relacionado ao partido e, em nada tem a ver com o governo de Jair Bolsonaro.

4- Bebianno e as conversas com Bolsonaro 

Na ultima terça-feira em entrevista ao jornal O Globo, Bebianno alegou ter conversado com Bolsonaro por três vezes e descartou crise.

5- Novo escândalo e gelo de Bolsonaro 

Um novo escândalo de repasse de dinheiro surge na mídia, onde Bebianno teria dado R$ 250 mil a Érika Siqueira Santos que trabalhou como sua assessora no partido e tentou uma vaga na Câmara dos Vereadores. A notícia foi publicada ontem, horas antes de Jair Bolsonaro ter alta. Após seu retorno a Brasília o presidente se reuniu com três ministros para uma nova reunião, menos Bebianno que não foi recebido.


6- Carlos Bolsonaro e o áudio polêmico 

Carlos Bolsonaro que é vereador e um dos filhos do presidente, desmentiu a informação de Bebianno que alego ter tido várias conversas com ele um dia antes de sair do hospital. Logo depois, ele ainda divulgou um áudio, em que seu pai afirma que só falaria o essencial.


7- Bolsonaro sai em defesa de Carlos 

Em uma entrevista concedida a RecordTV que foi ao ar nesta quarta-feira (13) no Jornal da Record, Jair Bolsonaro negou que tenha falado com Bebianno.


8- Possível demissão de Bebianno 

O presidente ainda alegou na entrevista que se ele estiver mesmo envolvido nos casos de repasse de dinheiro será penalizado. “Se estiver envolvido e, logicamente, responsabilizado, lamentavelmente, o destino não pode ser outro a não ser voltar as suas origens”.

9- Bebianno e sua afirmação de ficar 

Minutos depois da declaração de Jair Bolsonaro na RecordTV, Bebianno teve uma matéria divulgada por Andréia Sadi no G1, onde ele alegou que não vai pedir demissão, pois, acredita não ter feito nada de errado. “Eu não entendo. Enquanto ministro de estado, eu vou manter a minha postura, a liturgia inerente à função, e não comento esse tipo de coisa”.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.

Jean Wyllys não transferiu R$ 50 mil para defesa de homem que atacou Bolsonaro

Gustavo Bebianno está triste e decepcionado com Jair Bolsonaro após declaração bombástica