in

MG em pânico: duas barragens podem se romper na região

G1/ Montagem Rômulo Nogueira
Publicidade

Na madrugada desta sexta-feira (8) moradores do povoado de Pinheiros, em Itatiaiuçu, Região Metropolitana de Belo Horizonte, tiveram que sair de casa as pressas.

Publicidade

O motivo seria por conta de um risco do rompimento da barragem. Ao todo foram cerca de 50 famílias levadas para um hotel em Itaúna, na Região Centro-Oeste do estado.

Publicidade

De acordo com a Polícia Militar da cidade, o pedido para que as famílias fossem retiradas do local veio da Defesa Civil, que alertou as pessoas sobre o risco de rompimento da Mina de Serra Azul. O povoado fica a 1,5 quilômetros da barragem. De acordo com moradores que falaram ao jornalismo da Globo Minas, o alerta da sirene veio entre duas e três horas da madrugada.

O tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil Estadual conversou com o Bom Dia Minas e alegou que não foram usadas sirenes na operação. A empresa ArcelorMittal é a responsável pela barragem.

Publicidade

Em Barão de Cocais, famílias também saíram desesperadas por conta de outra barragem correr o risco de ser rompida. A Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, da Vale, está com grandes riscos de se romper. O medo fez com que a população saísse de casa a 1h da manhã desta sexta-feira (08).

Nas redes sociais, vários internautas se manifestaram em torno do rompimento das barragens. Em várias publicações o alerta de que todos deveriam sair de suas casas. Por enquanto estão todos seguros, mas o risco de a barragem se romper é grande. Por enquanto as famílias seguem sendo amparadas pela Defesa Civil, que segue tomando as providências necessárias para que ninguém seja atingido.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.

Incêndio no Flamengo: confirmada a morte de crianças das categorias de base

‘Estavam dormindo’: os últimos momentos dos atletas queimados vivos no Flamengo