Mulher se nega a induzir o parto e perde o bebê na 45º semana de gestação

Leia também

Paulinho Gogó está fora de A Praça é Nossa: ‘Nunca chorei tanto na vida’

Humorista Paulinho Gogó confirmou que não é mais contratado da emissora de Silvio Santos.

Fim do confinamento em Wuhan, primeiro epicentro do novo coronavírus

Moradores poderão sair da cidade, mas precisam levar um smartphone com um aplicativo que tem informações sobre a saúde deles.

Aos 8 anos, Davi Lucca, filho de Neymar tem doença séria revelada

Carol Dantas, ex de Neymar, revelou como tem sido a mudança na rotina de Davi Lucca.

Vidente Carlinhos revela a verdadeira razão de possível queda de Bolsonaro na presidência

Em novo vídeo, o vidente Carlinhos comenta sobre a queda de Jair Bolsonaro na presidência.
Raphael Costa
Aqui você encontrará as melhores notícias.
Publicidade

Stephanie, de 30 anos, já estava decidida a ter o seu quinto parto normalmente, porém, quando completou a 41 semana de gestação e o bebê não dava nenhum sinal de que estava na hora de vir ao mundo, a mulher decidiu seguir conselhos de um grupo no Facebook,  cujo nome se intitula de Ten Month Mamas, no qual este mesmo grupo já se encontra removido da rede social. 

O caso aconteceu no Havaí, e desde que foi compartilhado na internet vem deixando milhares de pessoas revoltadas com a atitude desta mãe. 

Publicidade

Ao completar 43 semanas de gravidez, Sthepanie foi instruída por suas parteiras para induzir o parto, pedido este que já havia sido feito quando completou 41 semanas, e novamente foi negado pela mulher, que decidiu continuar com a gravidez normalmente. Sthefanie já é mãe de quatro filhos e todos vieram numa gravidez tardia, por isso a mulher não se preocupou. “Eu li muito sobre isso. Pesquisei mulheres que tinham passado de 42 semanas. Eu pesquisei também sobre a redução de líquido. Mas, em todo momento tive a sensação que estava tudo bem.” Contou Sthepanie.

Publicidade

Quando ela finalmente completou 45 semanas e planejava ir ao hospital, foi então que sua bolsa rompeu. Sthepanie conta que sentiu dores violentas e insuportáveis, chegou a pensar que o bebê não resistiria. Foi então que ela e o marido correram para o hospital e lá foi constatado que o bebê não tinha batimentos cardíacos. A mulher foi preparada então para a retirada do bebê. 

Publicidade

Uma gestação correta para o parto é entre 37 e 42 semanas. Sthepanie se arrepende de ter esperado tanto tempo e pensa que se talvez se tivesse escutado os profissionais do hospital, quando ela completou 41 semanas, que o seu bebê poderia estar vivo. Após perder o bebê a mulher ainda voltou ao grupo para contar o que houve e que se sentia culpada.