Brasileiro cria réplica de Ferrari F40, é denunciado por marca italiana, e o pior acontece

Leia também

Lembra do saradão de Fina Estampa? Aos 54 anos, suas fotos impressionam: ‘Lindo’

Ator, que mora na Califórnia com a família, relembra dura perda de uma filha e comove.

Lembre as coisas que eram comuns na sua infância, mas hoje não inacreditáveis

Os hábitos mudam e hoje é quase impossível acreditar que essas coisas fizeram parte da infância de muita gente.

Pai, mãe e seus 11 filhos são infectados com coronavírus: ‘Foi um momento difícil’

De acordo com a mídia local, a mãe das crianças foi a primeira infectada com o vírus.

Esta garota de 11 anos vai casar, a família sabe e o motivo vai te fazer chorar

O consentimento da família mostra o motivo dela estar em prantos e a nobre atitude.
Raphael Costa
Aqui você encontrará as melhores notícias.

Publicidade

Vitor Estevan, 31 anos, de Cachoeira Paulista (SP), é apaixonado pela escuderia desde criança. O homem, que é dentista, criou um protótipo de uma Ferrari modelo F40, que chamou bastante atenção. O carro ficou tão parecido que chegou a incomodar a marca italiana. O veículo original foi lançado em 1987.

Publicidade

O carro foi construído com metais comprados em casas de ferragens e lojas de material para construção, alguns detalhes, Vitor conta que aperfeiçoou em casa mesmo, nos fundos de onde mora. Em 2018, Vitor tentou vender o veículo por R$ 80 mil em uma plataforma de anúncios na internet e logo depois o mesmo foi retirado do ar.

Publicidade


                                                            Foto: Reprodução

Publicidade

Vitor foi encontrado pela empresa italiana, durante buscas na internet, por este motivo a Ferrari, criadora e detentora dos direitos sobre o modelo do carro, contratou um advogado brasileiro que a representou e denunciou o dentista por infringir a lei de patentes. “Eu investi tanto tempo nisso, aceito mudar a carroceria, tirar as características [da Ferrari], mas não quero perder ele inteiro. Tudo o que eu fiz, foi um projeto de vida”, diz Vitor.

Segundo a Polícia Civil, Vitor terá que esperar o inquérito e, se por acaso vier a ser comprovado o plágio, o dentista poderá responder por copiar desenho industrial de um produto sem autorização.

O rapaz conta que em 2018 foi vítima de um furto e teve problemas financeiros, por isso então decidiu anunciar o carro para venda, mas acabou tendo que vender o consultório odontológico e hoje trabalha como dentista em clínica de terceiros.