Tragédia em Brumadinho: funcionário da Vale é convocado para trabalhar na folga e morre

Leia também

Lima Duarte solta o verbo contra Regina Duarte e seu apoio a Bolsonaro: ‘Dançou’

Lima Duarte comentou sobre a demissão de Regina Duarte do cargo na Secretaria de Cultura no governo de Jair Bolsonaro.

Moro dá entrevista bombástica sobre Bolsonaro e joga tudo no ventilador; sem qualquer piedade

O ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) concedeu entrevista à revista americana Time e surpreendeu.

Coronavírus: casamentos pela internet já é realidade no Brasil e até a festa é virtual

Vários cartórios já começaram a realizar casamentos pela internet e se torna uma saída para muitos casais.

Coronavírus: Brasil tem mais de 20 mil mortes, supera 300 mil casos e clima é de medo

A Covid-19 segue fazendo vítimas por todo o país e os hospitais travam uma batalha contra a doença.
Diogo Marcondes
Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.
Publicidade

Leonardo Alves Diniz, de 33 anos, era casado, pai de um menino de sete anos e morava na cidade de Sarzedo, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele está entre as vítimas confirmadas da tragédia de Brumadinho e seu corpo já foi enterrado.

Além da tristeza pela morte, há também o fato de que o funcionário que trabalhava como técnico de manutenção na Vale havia mais de dez anos, estava de folga no dia tragédia, na sexta-feira (25).

Publicidade
Publicidade

Leonardo acordou e iria renovar a sua carteira de motorista quando foi convocado para fazer o plantão da empresa.

Publicidade

Publicidade

Por volta do horário do almoço uma barragem rompeu com cerca de 123 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério misturado com lama. Leonardo estava entre as centenas de pessoas atingidas pela enxurrada que devastou parte de Brumadinho.

O corpo do funcionário da Vale foi reconhecido no Instituto Médico Legal (IML). O velório e enterro aconteceram no Cemitério Bom Jardim, em Mário Campos, cidade vizinha a Brumadinho. Parentes que não quiseram se identificar contaram aos jornalistas que Leonardo era uma pessoa correta e que “amava sem reservas”.

O funcionário da Vale estava prestes a se formar em administração de empresas. Leonardo Alves Diniz está entre os 58 mortos confirmados até a tarde desta segunda-feira (28).

Centenas de pessoas ainda continuam desaparecidas e as equipes que trabalham no resgate montaram operação de guerra para localizar as vítimas desta tragédia sem precedentes no Brasil. Os homens do Corpo de Bombeiros, por exemplo, ampliaram os pontos de buscas.