Tremores são apontados como causa do rompimento da barragem em Brumadinho; entenda o caso

Leia também

Coronavírus: casamentos pela internet já é realidade no Brasil e até a festa é virtual

Vários cartórios já começaram a realizar casamentos pela internet e se torna uma saída para muitos casais.

Coronavírus: Brasil tem mais de 20 mil mortes, supera 300 mil casos e clima é de medo

A Covid-19 segue fazendo vítimas por todo o país e os hospitais travam uma batalha contra a doença.

Em tempo de pandemia, estes são os perigos de andar descalço em casa

Alguns cuidados são necessários, pois apesar de parecer inofensivo pode trazer problemas.

Estado de Márcio Garcia é divulgado; apresentador sofreu acidente e passou por cirurgia

O apresentador fez uma publicação agradecendo os fãs pelo apoio neste momento.
Henrique
Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.
Publicidade

Fábio Braz Machado, que é diretor da Sociedade Brasileira de Geologia, apresentou alguns possíveis acontecimentos que teriam facilitado o rompimento da barragem da Companhia Vale, na cidade mineira de Brumadinho, causando a tragédia envolvendo, até o momento, dezenas de vítimas fatais.

Segundo ele, uma catastrófica combinação de tremores de terra na região, juntamente com problemas relacionados à conservação das barragens, pode ter sido a raiz da tragédia que atingiu a cidade na última sexta-feira (25). Brumadinho fica localizada a cerca de 60 quilômetros da capital, Belo Horizonte.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista concedida ao portal UOL, Machado disse que nos últimos dias, a região do estado das Minas Gerais estava sofrendo pequenos tremores, na casa dos 2 e 3 graus na escala Richter. Porém, até agora, ele não teve acesso aos dados oficiais da atividade sismográfica na região no dia da ruptura. Entretanto, pelas suas análises, as atividades sísmicas comumente perpetuam-se nos dias seguintes.

Publicidade

Por si só, tais pequenos tremores não poderiam ser a causa do rompimento da barragem. Todavia, acrescido de pequenas rachaduras pré-existentes, a soma poderia ser destruidora, com o agravamento da situação inicialmente existente.

Publicidade

Entretanto, as observações do diretor da Sociedade Brasileira de Geologia são meras especulações baseadas em estudos concretos. Isso porque, até o momento, não apurou-se o real motivo do rompimento da barragem.

A estrutura abrigava a gigantesca quantidade de 12 milhões de metros cúbicos de material e, por onde passou, destruiu tudo.