Primeira-dama, Michelle Bolsonaro, será investigada pela Receita Federal

Leia também

Babu enfrenta morte do lado de fora do BBB20 pelo câncer; ator ainda não sabe da perda

Pelas redes sociais, a namorada de Babu Santana comunicou aos fãs sobre a morte da avó do brother.

Mulher engravida de irmão e vira mãe e tia ao mesmo tempo; marido concordou com tudo

A mulher teve dois filhos e disse ter se sentido muito feliz pelo conseguiu fazer.

Homem vence coma do coronavírus, após escutar louvor por 7 dias: ‘milagre’

Diagnosticado com Covid-19 e em coma, o executivo Hudson Ricardo Alves dos Santos, diz que foi alvo de milagre.

Espírito obsessor de boneco amaldiçoado estaria rondando a casa do BBB20

A teoria começou a circular com força pelas redes sociais após internautas ligarem pontos relativos a episódios ocorridos na casa.
Raphael Costa
Aqui você encontrará as melhores notícias.
Publicidade

A primeira-dama está na mira da Receita Federal e o motivo seria o cheque que ela teria recebido do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, que está sendo investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. 

O número de depósitos feitos na conta por outros assessores de Flávio Bolsonaro chamou a atenção e, no rol de favorecidos, está a ex-secretária parlamentar e atual esposa do presidente Jair Bolsonaro, Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, que teria recebido R$ 24 mil. 

Publicidade

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou que o depósito feito na conta da primeira-dama por Queiroz, teria sido o principal motivo de tornar então Michelle investigada pelo fisco e sua conta poderá a qualquer momento passar a ser alvo de análise do órgão. 

Publicidade

Caso a investigação da Receita não consiga desvendar as movimentações feitas por Queiroz, o presidente da República também poderá ser alvo de análise do órgão. O Fisco segue uma linha de raciocínio na qual poderá cobrar explicações também do atual presidente, Jair Bolsonaro, pois ele atribuiu o depósito a um suposto empréstimo de R$ 40 mil, que segundo ele teria feito ao “amigo” Queiroz.

Publicidade

A transação não possui registros e tampouco foi declarada no Imposto de Renda de Jair Bolsonaro. Também não existe contrato ou promissória sobre o valor do repasse ao ex-assessor de seu filho. 

“Emprestei dinheiro para ele em outras oportunidades. Nessa última agora, ele estava com um problema financeiro e uma divida que ele tinha comigo se acumulou. Não foram R$ 24 mil, foram R$ 40 mil. Se o Coaf quiser retroagir 1 pouquinho mais, vai chegar nos R$ 40 mil”, disse Bolsonaro, ao afirmar que sua esposa Michelle chegou a receber 10 cheques de R$ 4 mil.