in

Deficientes visual e auditivo brilham na Copinha com as camisas do Grêmio e Goiás

Publicidade

O jovem Jhonata Robert sacudiu as redes da Copinha, fez assistências e alcançou as quartas de final junto ao Grêmio. O jogador Guida esteve presente na maioria dos gols do Goiás, apesar da eliminação da sua equipe.

Assim como milhares de outros meninos, eles também têm o grande sonho de chegarem ao patamar de jogadores profissionais e fazerem uma história de sucesso nos gramados. Porém, além das dificuldades que todos os outros jovens já enfrentam nesse mundo difícil do futebol, para Jhonata Robert e Guida o caminho a seguir exige dribles bem maiores dos rapazes que convivem com a deficiência auditiva nos dois ouvidos e a cegueira em um dos olhos respectivamente.

Jhonata herdou a sua deficiência do seu pai e do avô, já nascendo com ela. A capacidade auditiva do rapaz tem uma redução de 70% em cada um dos seus ouvidos. Já o Jovem Guida, acabou perdendo a visão em um dos seus olhos por conta de um acidente ocorrido quando ele ainda era uma criança, aos cinco anos de idade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Essa dupla teve que se superar e lutar bastante para estarem presentes nos campos. Muito mais do que as dificuldades naturais dessa trajetória no mundo do futebol, eles tiveram que enfrentar as suas inseguranças e o bullying na infância. Contudo, conseguiram através de muito esforço e coragem, encontrar habilidades e estratégias para superar essas dificuldades e se destacarem.

“As pessoas brincavam falando da minha audição e me chamavam de ‘surdo’. Eu tinha a consciência muito fraca e isso acabava me chateando, ficando triste. Muita gente falava. E meu pai me ajudou: ‘Filho, isso não muda nada. Você tem que jogar, você vai aprender a lidar com isso. Fiquei escutando meu pai, minha família, isso foi me ajudando”, disse Jhonata.

Publicidade
Publicidade