in

Descubra o número de armas que uma pessoa poderá ter com o novo decreto de armamento

Rádio Progresso

Uma versão atualizada do novo decreto sobre a posse de arma no Brasil será ratificada por  pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Uma das exigências é a utilização de cofre em residências que tenham crianças, adolescentes ou até pessoas com algum tipo deficiência.

Além disso, será liberado a posse para pessoas que morem em áreas rurais ou cidades com índice de criminalidade considerado alto. O texto ainda estabelece que o limite de posse é de até duas armas por pessoa. Essas informações foram transmitidas pelo jornal SBT Brasil, que conseguiu acessar o documento 

A medida também estabelece que agentes públicos na área de segurança, assim como policiais, moradores de áreas urbanas com mais de 10 homicídios a cada 100 mil/habitantes, e proprietários de estabelecimentos comerciais ou colecionadores sejam beneficiados após a alteração neste decreto.

Quem adquirir, só poderá ter a arma em casa ou estabelecimentos comerciais. As mudanças não darão ao cidadão o poder de transitar com uma arma de fogo em ambientes públicos.

Para adquirir o direito de posse é necessário realizar um exame psicológico e um curso de tiro. Vale lembrar que menores de 25 anos e pessoas que tem antecedentes criminais não poderão utiliza armas. 

O presidente Jair Bolsonaro ainda está pleiteando sobre o prazo de validade da autorização para ter o direito a posse de armas. Uma das questões já admitidas pelo Ministério da Justiça diz que o prazo pode ser aumentado de 5 para 10 anos.

Leia Também

Escrito por Andressa Cavalcante

Bacharel em direito, também possui formação no curso de Análise e desenvolvimento de sistemas, há 3 anos que trabalha como colunista em sites. Trabalha como Gerente de Mídia Social na página Garota Conservadora assim como em Loucos por Armas ambos do Facebook, no Instagram administra os perfis @versosdadireita e @blogconservadora

A Usurpadora e outros clássicos mexicanos vão virar série em 2019

Mara Maravilha passa por cirurgia e relata sofrimento