in

Pais permitem que dono de casa abusasse da filha, várias vezes, para não pagar o aluguel

Divulgação/Diariojornada

Durante dois anos, uma adolescente de 15 anos viveu um verdadeiro inferno onde morava com sua família. Sua mãe biológica e o padrasto estavam obrigando ela a ter relações com o proprietário da casa onde eles viviam, na cidade de Bernal; com isso eles não precisavam pagar o aluguel.

A adolescente foi resgatada por oficiais de Quilmes, depois que uma de suas tias fez uma queixa contra os autores, todos de nacionalidade paraguaia. De acordo com fontes policiais, o crime aconteceu em uma casa localizada em Neuquen Street.

A vítima vivia com a mãe, Ramona Pérola, de 37 anos, e seu padrasto, Julian Agripino, de 65 anos, um ex-pedreiro e aposentado, que também aproveitou a coexistência que teve com a menor para abusá-la.

O proprietário da residência, que abusava da vítima, foi identificado como Juan Bautista Rotela Dominguez, de 46 anos, que também foi preso e deve prestar contas à Justiça.

A mãe da vítima está sendo acusada de promover e facilitar a prostituição. Fontes próximas à investigação disseram que a mulher sofria ameaças e espancamentos do esposo para aceitar entregar sua filha a Rotela Domínguez. Para que pudessem ter contato íntimo com ela, o preço seria o aluguel da residência onde moravam.

A menina foi retirada dos cuidados dos pais e está com a equipe de Proteção Infantil na cidade de Florencio Varela, longe de seus agressores. Conforme relatos divulgados em jornais locais, a vítima estava grávida de um dos dois homens e a forçaram a fazer um aborto. O crime está sendo investigado pela polícia.

Leia Também

Escrito por Francisco Nunes

Barbeiro profissional, e nas horas vagas trabalho como freelancer.

Next post

Anitta sai do Brasil revoltada com Bolsonaro, mas presidente mita em resposta?

Globo desclassifica participante do BBB após denúncia gravíssima