in

Padre Quevedo e ocultismo: morte do católico comove fiéis na internet

Reprodução/Band
Publicidade

Morreu nesta quarta-feira (9), aos 88 anos, o Padre Oscas Gonzalez Quevedo Bruzan, importante religioso católico brasileiro. A morte foi confirmada na madrugada de hoje, em Belo Horizonte, por conta de complicações cardíacas.

Quevedo marcou a história do catolicismo ao aparecer na TV diversas vezes, desvendando mistérios do ocultismo e reforçando seu bordão “isso non ecziste“. O falecimento do padre acabou repercutindo nas redes sociais, após a publicação da notícia pelos veículos mais acessados atualmente.

Seus seguidores e telespectadores que o assistiam no ‘Fantástico’, da TV Globo, publicaram tweets lembrando dos momentos curiosos e engraçados que o padre vivenciou, trabalhando com os mistérios do ocultismo. Veja abaixo algumas das postagens.

Publicidade

Assista abaixo momentos memoráveis do Padre Quevedo na televisão

Assista também a uma entrevista de Quevedo no Programa do Jô

Publicidade


Vida dedicada à religiosidade e à verdade

Quevedo passou grande parte de sua vida escrevendo livros religiosos e acabou ganhando notoriedade ao aparecer na TV, desvendando os mistérios da natureza e desmascarando charlatões.

O quadro do Padre Quevedo no ‘Fantástico’ surgiu em 1999 para substituir o Mister M, sucesso de audiência na época. A ideia era manter o ritmo de suspense e mistério nas noites de domingo.

O padre precisou se fastar da mídia em 2011, devido a seu estado de saúde cada vez mais frágil. Apesar de estar há oito anos fora das lentes das câmeras, muitas pessoas lembraram dele com carinho e publicaram homenagens.

A confirmação da morte de Quevedo aconteceu pela Faculdade Jesuíta de Filosogia e Teologia (Faje), onde ele morava, no bairro do Planalto.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Tô passado News

Escrito por Tô passado News

Assuntos chocantes, novidades da televisão e famosos e política: tudo você encontro aqui.