in

Tatá Werneck é vítima de criminoso e vai à delegacia na véspera de Natal

Reprodução / Multishow
Publicidade

A apresentadora e humorista Tatá Werneck, do Multishow, postou mensagem em sua conta oficial no Instagram, dizendo que estava sendo vítima de um criminoso, que se passava por ela usando seu número antigo de celular.

Publicidade

“Algum Fdp está se passando por mim com um antigo número meu ligando pros meus amigos e pedindo contato de pessoas . Qq mensagem estranha eh esse fake babaca tá? Já estou tomando as providências e indo na delegacia”, escreveu Tatá.

Publicidade

Na mesma mensagem, ela pede ajuda à empresa de telefonia Tim. A apresentadora também postou um print da pessoa que se passa por ela. Ela não revelou com quem era conversa.

Mas um amigo famoso enviou mensagem à Tatá no dia 12 de outubro e só houve resposta, provavelmente, neste domingo. Só que quem respondeu não é a apresentadora, mas sim a pessoa que clonou seu antigo número de celular.

Publicidade

O amigo de Tatá nem lembrava mais qual era o assunto que iria tratar. A pessoa que se passa por ela se aproveita da situação, diz que perdeu a agenda geral e pede o número de telefone de outros famosos, como Carlinhos Maia.

“As pessoas são doentes ainda mais falando que não é crime algum fazer isso para conseguir os números dos artistas pqp hein vcs são doentes em alto nível e depois ficam chorando, se fazendo de vítimas quando estão atrás das grades… Por isso o povo acaba com o mundo!!! Vão se tratar”, comentou uma seguidora de Tatá.

Se passar por outra pessoa, mesmo na internet, pode ser enquadrado como crime de falsidade ideológica. Por mais que a pessoa que tomou tal atitude alegue que estava apenas brincando, há risco de condenação. Criar perfil falso na internet, por exemplo, pode render reclusão de cinco anos.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

No Natal, Bolsonaro brinca com facada e dá melhor presente a humildes funcionários

Sem piedade, Bolsonaro dá presente de Natal amargo à Globo