in

Após dias internado, cantor não resiste: morte comoveu a todos

Divulgação/Pinterest
Publicidade

Compositor, cantor, performer e maestro Adolfo Ernesto Echeverría Comas morreu. Depois de sofrer durante vários anos, de várias doenças relacionadas ao diabetes e doença de Alzheimer, sua esposa, Anastasia Arrieta confirmou a notícia da perda na manhã de quinta-feira (20).

O autor de vários clássicos de som tropical colombiano como ‘Nascente’, ‘As quatro partes’, ‘Gansos’, ‘Immaculate’ e ‘Night Fantasy’, estava internado durante cinco dias na clínica Jorge Enrique Medrano, em Barranquilla. Já em julho deste ano ele passou pela mesma situação, e alguns meses atrás ele havia sido submetido à amputação de seus membros inferiores como resultado de diabetes.

Adolfo Echeverría nasceu em setembro de 1934 e começou em um programa amador na estação de rádio Emisoras Unidas de Barranquilla, cantando baladas e rancheras (um gênero musical popular e folclórico do México), enquanto trabalhava como vendedor de roupas.

Publicidade

Em 1961 ele compôs seu primeiro grande sucesso, ‘As quatro partes’, que fala precisamente das quatro festividades que começam no dia 8 de dezembro com a noite das velas, continuam com o Natal e o Ano Novo e terminam com o carnaval em Barranquilla.

Publicidade
Publicidade

A canção foi gravada por amigos que trabalharam no restaurante Mônaco, e que faziam parte do chamado Quarteto de Mônaco, dirigido por Ángel Monsalvo com a voz de Nury Borrás. Outra composição de Echeverría, das mais de 2.800 que lhe são concedidos, chamada ‘Tomato sauce’, foi gravada por Tito Puente com Celia Cruz em seu álbum de 1970 ‘Alma con alma’. 

Por um tempo, Echeverría ficou longe da música devido à morte em um acidente de trânsito de seu jovem irmão Gil Blas em 1972, que acabara de ser contratado para cantar com os Caracas Boys da Billo na Venezuela.

Em seguida, nasceu sua primeira orquestra, Adolfo Echeverría y los Mayorales, na qual ele gravou a maioria de suas composições, algumas delas cantadas por ele mesmo, para a gravadora Caliente, divisão Sonolux, e depois para Discos Fuentes e Felito Records, entre outros.

Durante vários anos, Echeverría estava sendo mantido em casa como um resultado de suas muitas doenças, aos cuidados de sua esposa, Anastasia Arrieta, que também é co-autor de sua biografia.

Publicidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro de tudo o que acontece. CLIQUE AQUI

Publicidade
Francisco Nunes

Escrito por Francisco Nunes

Barbeiro profissional.