in

Segurança suspeito de matar cão em supermercado vai à polícia e pode se dar muito mal

Reprodução / O Globo

O segurança suspeito de envenenar e agredir o cão chamado Manchinha, em uma loja da rede de supermercado Carrefour, em Osasco, na Grande São Paulo, prestou depoimento à polícia nesta quinta-feira (6).

As acusações que pairam sobre ele, que não teve a identidade revelada, é que teria envenenado e espancado o animal, provocando as lesões que causaram a morte do bicho que era tido como um mascote por alguns funcionários do mesmo supermercado.

O cachorro morreu devido a um choque hemorrágico. “O animal deu entrada consciente no departamento em decúbito lateral (deitado de lado), mucosas anêmicas, hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas (…) Apesar do tratamento instituído, o animal veio a óbito”, informou a prefeitura de Osasco por meio de nota.

As imagens do chão do supermercado sujo de sangue repercutiram nas redes sociais e chamaram a atenção dos internautas. Ativistas dos direitos dos animais protestam com o Carrefour.

Na quarta-feira (5), o Ministério Público de São Paulo instaurou inquérito civil para apurar o caso. A pena para quem comete crime contra animais varia de três meses a um ano. Esta pena não resulta em detenção e normalmente é paga com serviços sociais.

O segurança foi afastado pelo supermercado devido à repercussão do caso. Ele corre risco de demissão. Em nota, o Carrefour afirmou que não vai se eximir de sua responsabilidade. “Estamos tristes com a morte desse animal, pois já era considerado um mascote por alguns colaboradores”, afirmou.

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Adriane fala sobre relação com ex e surpreende ao revelar traição

Atriz e mãe de jovem galã da Globo faz desabafo comovente sobre batalha contra o câncer