in

Governo Doria deve priorizar combate à facção criminosa PCC

Montagem: UOL / Diogo Marcondes
Publicidade

O Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que age dentro e fora dos presídios de São Paulo e de outros estados brasileiros, deve ser combatida no governo de João Doria (PSDB), que assume o comandado do estado a partir do dia 1º de janeiro.

Nesta sexta-feira, dia 30, Doria anunciou Ruy Ferraz Fontes como delegado-geral da Polícia Civil. Ferraz Fontes é o atual diretor da Delegacia de Narcóticos (Denarc). No começo dos anos 2000, era um dos principais delegados do estado no combate ao PCC. A facção surgiu em 1993.

Ferraz Vontes também comandou a delegacia de Roubo a Bancos e o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Ele foi o responsável pela prisão de diversos líderes do crime organizado.

Publicidade

Em entrevista ao UOL, o professor de Gestão Pública da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Rafael Alcadipani, afirma que a indicação de Ferraz Fontes mostra que o governo deve priorizar o combate ao PCC.

Publicidade

A Polícia Militar continuará sob o comando de Marcelo Vieira Salles, que assumiu a tropa em abril e foi bem avaliado pelo novo governo, que decidiu mantê-lo à frente da PM. Vieira Salles defende a redução das mortes de policiais e também da letalidade policial.

O governo Doria também criou um novo posto, o de secretário-executivo da Polícia Civil. Este cargo será ocupado pelo ex-delegado-geral Youssef Abou Chain. O secretário-executivo da Polícia Militar será o deputado estadual Coronel Alvaro Batista Camilo, do mesmo partido do futuro secretário da Casa Civil de Doria, Gilberto Kassab, o PSD.

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br