in

Família da turista morta em Arraial do Cabo não tem dinheiro para traslado do corpo

Reprodução / Inter TV
Publicidade

Fabiane Fernandes, de 32 anos, foi morta no último domingo (18), em Arraial do Cabo, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O corpo foi encontrado três dias depois em um local chamado Trilha da Cabocla, em estado avançado de decomposição.

Publicidade

A polícia está à procura do assassino. Laudo revelou que Fabiane recebeu golpes na cabeça e sofreu traumatismo na região da cabeça e da face. A turista era de Santa Catarina, onde administrava a pousada da família na Praia dos Ingleses.

Publicidade

Ela morava com a mãe, que tem paralisia em um lado do corpo, e o filho de nove anos. O garoto estava sendo cuidado por amigos de Fabiane e ainda não havia recebido a notícia da morte da mãe.

Um amigo de Fabiane viajou ao Rio de Janeiro para fazer o traslado do corpo para Santa Catarina. “A família não tem recursos e precisa de ajuda para fazer o translado do corpo. Não foi uma morte natural. Foi um crime, é questão de segurança pública”, afirmou o amigo em entrevista ao Extra.

Publicidade

“Alguém precisa se responsabilizar pelo que aconteceu. A família, infelizmente, não tem recursos disponíveis. o irmão de Fabiane está tentando dinheiro para pegar um voo e fazer o reconhecimento oficial do corpo da irmã”, frisou o amigo da família, que espera ajuda governamental para fazer o traslado.

Em um site de transporte funerário, o traslado rodoviário do corpo em um caixão padrão de Arraial do Cabo para Florianópolis custa em média R$ 4.500. Com a disponibilização de roupa e de um familiar acompanhando, o valor salta para quase R$ 5.000.

Publicidade

Leia Também

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Laudo revela detalhes da morte da turista catarinense em Arraial do Cabo

Fábio Carille como novo técnico do Corinthians? Jair pode estar com os dias contados