in

Estudo diz que mães amorosas podem influenciar na saúde dos filhos e evitar grave doença

Entre Maes e Filhos

Que o amor é um dos sentimentos mais sublimes todo mundo já tem conhecimento. No entanto, uma pesquisa apontou um dado interessante em relação ao desenvolvimento das crianças e a sua influência na vida adulta. 

A pesquisa realizada sugeriu que os pequenos que possuem mães mais carinhosas são muito mais saudáveis no futuro. Ainda conforme o estudo, na vida adulta as pessoas que tiveram mães afetuosas vão ter maior probabilidade de estarem livres de doenças e até mesmo tem um risco menor de apresentar uma das enfermidades consideradas o mal do século, a depressão.

O fato de crescer em um lar com mais amor pode reduzir as chances de estresse. Além disso, esses detalhes encorajam as pessoas a viveram de uma maneira melhor, afirmaram os pesquisadores. Os especialistas da Universidade Estadual de Michigan estudaram mais de 22 mil pessoas.

A conclusão do estudo foi que os adultos que conseguiam se lembrar de tido mais carinho de suga genitoras, eram indivíduos com mais saúde e com uma propensão menor a desenvolver um quadro de depressão. A publicação do estudo foi realizado na revista Health Psychology.

Um dos autores da pesquisa, William Chopik, disse que todos sabem da importância de uma boa memória. No entanto, os pesquisadores acharam surpreendente o que os efeitos das lembranças positivas podem provocar na vida adulta. A maior parte dos estudos anteriores, davam maior relevância ao papel da mãe e dificilmente faziam a avalição do papel que um pai precisa desempenhar.

A pesquisa chegou a conclusão que o amor e carinho de uma mãe pode moldar o futuro do filho, mais do que o pai. Porém, o Dr. Chopik disse que essa situação pode sofrer alteração, afinal os resultados podem varias de acordo com as circunstâncias culturais e emocionais.

Leia Também

Pai ateia fogo na filha de 3 anos e ao revelar o motivo deixa todos chocados

Inter de Milão aceita troca de jogadores e Gabigol deve ser reforço do Palmeiras em 2019