in

Justiça pede condenação da Globo e novela poderá sofrer alteração em sua reta final

Publicidade

A Globo mais uma vez está na mira da justiça. Dessa vez, O Ministério Público Federal, em Minas Gerais, ajuizou uma ação pública pedindo “indenização por danos morais coletivos” por apresentar uma produção fora do horário apropriado.

Publicidade

De acordo com o procurador da República, Fernando de Almeida Martins, autor da ação condenatória, “ao não se permitir a censura de conteúdo, a Constituição da República permite ao poder público criar mecanismos para informar ao público a natureza dos espetáculos, separando-os por faixa-etárias e indicando horários para exibição”.  

Publicidade

O caso em questão se trata da novela Belíssima, que foi escrita por Sílvio de Abreu, está sendo reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo desde 4 de junho de 2018, substituindo Celebridade e que está em sua reta final.   


Com um elenco de peso, alguns até no ar na atual novela das 9, como é o caso de Vladimir Brichta no papel de Remy e Adriana Esteves como Laureta
, ela foi exibida entre 7 de novembro de 2005 e 7 de julho de 2006, em 209 capítulos. O objetivo da telenovela era discutir a ditadura da moda e a imposição do padrões de beleza e magreza, tendo como pano de fundo a indústria da moda paulistana, colocando a personagem Júlia como uma espécie de “patinho feio” em uma família de modelos. 

Publicidade

Um fato parecido aconteceu recentemente com a novela Deus Salve o Rei. A trama, que até então era indicada para o público a partir dos 10 anos de idade, sofreu uma alteração etária. A mudança foi uma iniciativa do “ Ministério da Justiça ” que decidiu aumentar a classificação etária para maiores de 12 anos por conta de cenas de “violência e conteúdo sexual”, e a mesma medida poderá ser imposta no folhetim das tardes da emissora.

Publicidade

Leia Também

Escrito por E. Maldonado

Bastante ativa nas redes sociais, escrevo conteúdo sobre os mais diversos assuntos para a plataforma i7 Network.