in

Bebê é velado em caixa de papelão e polícia suspeita que mãe cometeu aborto; saiba mais

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Publicidade

A Polícia Civil interrompeu um velório de um bebê recém-nascido na cidade de Cocal, no Piauí, após receber uma denúncia anônima, com a informação que criança de sexo não revelado estava sendo velada em uma caixa de papelão e que seria sepultada no quintal de uma residência.

O caso aconteceu na manhã de terça-feira (7). A investigação procura saber se a criança nasceu morta, sofreu aborto ou foi morta pela mãe, uma jovem de 18 anos que não teve o nome revelado.

A perícia foi feita no local sob comando da delegada Daniella Dinali, que solicitou o encaminhamento do corpo para necropsia. Ela informou que a mãe escondeu a gravidez da família durante os nove meses. “A família questionava, mas ela negava. Ainda vamos ouvi-la para saber o que exatamente aconteceu”, revelou a delegada.

Publicidade

Daniella informou também que tudo indica que o recém-nascido nasceu de parto normal, mas a polícia aguarda o resultado final da perícia, que deve sair dentro de 15 dias. “Todos os exames já foram feitos e agora estamos fazendo as investigações para saber se foi um infanticídio ou se não houve crime nenhum”, contou.

Publicidade

O chefe de investigação da Delegacia Regional de Cocal, Valter Brune, informou ao Portal O Dia que familiares e conhecidos relataram que “na madrugada da terça, ela entrou em trabalho de parto e, após dar à luz, ela teria colocado o corpo da criança em uma mochila, mas como estava debilitada e não conseguiu ocultar o cadáver, ela entregou para os familiares revelando que a criança era dela. Sem saber o que fazer, os parentes dela resolveram realizar a cerimônia e velaram o corpo do bebê dentro da caixa de papelão”.

A mãe precisou ser internada no Hospital Dirceu Arcoverde, em Parnaíba, para passar por uma cirurgia após apresentar um quadro de hemorragia interna, e por isso, ainda não teve seu depoimento colhido. Se o resultado apontar que a criança foi morta pela própria mãe, poderá ser indiciada por infanticídio.

Publicidade
Thiago Santana

Escrito por Thiago Santana

É redator do Grupo i7 Network, estudante de jornalismo e chocolatra.