No segundo turno, PT não usa vermelho e tira nome de Lula de campanha

O partido vem traçando uma estratégia para conquistar os votos não garantidos.

Imagem de divulgação do PT

No primeiro turno, quase que o candidato Jair Messias Bolsonaro fatura a presidência da República no primeiro turno, pois faltaram apenas 4% para que o candidato do PSL conseguisse tal feito, entretanto agora terá que enfrentar uma campanha de segundo turno contra o segundo colocado, Fernando Haddad.

Haddad é candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) e no primeiro turno utilizou uma estratégia bem clara para relembrar o governo do PT  e, até mesmo, utilizou a frase “Haddad é Lula”, para que associassem o nome do candidato com o do ex-presidente, que não conseguiu se candidatar por estar preso.

As cores vermelhas eram claras nas letras e roupas e o ex-presidente Lula era colocado como uma das peças do governo, como se ele fosse uma figura acima da vice-presidente Manuela D’Ávila, indicando que Lula e Haddad estariam basicamente no mesmo posto.

Com esta campanha, em uma estratégia basicamente de substituição de Haddad por Lula, o PT mudou totalmente a estratégia para o segundo turno, pois os votos de Lula já foram conquistados, agora o Haddad tem que afastar o vermelho e Lula de sua campanha, para que eleitores que rechaçam o ex-presidente, desassociem o nome de Lula do candidato do PT.

Agora o segundo turno será uma briga de rejeição entre os candidatos à presidência da República, qual conseguir diminuir mais a sua rejeição deve ganhar a corrida presidencial, porém especialistas políticos afirmam que é muito difícil o Bolsonaro conseguir perder este eleição presidencial, pois só faltam 4%.