in

Obesa que ficou entalada na catraca faz desabafo emocionado: ‘me senti um lixo’

Divulgação/Metropoles
Publicidade

A obesidade é um problema muito sério, pois pode causar graves danos à saúde. Além disso, muitas pessoas que sofrem com esse tipo de situação ainda precisam enfrentar constrangimentos por causa da aparência. 

Uma mulher passou por uma situação desse tipo ao precisar usar o transporte público no município de Mauá, localizado na região metropolitana de São Paulo. Rosimere Bastos, de 42 anos, relatou o constrangimento vivido.

A cuidadora de idosos disse que pegou o ônibus coletivo no centro da cidade e após ter recebido várias respostas negativas ao perguntar se poderia entrar pela porta da frente, decidiu enfrentar a catraca, que de acordo com a mulher sempre foi algo traumático.

Publicidade

Rosimere contou que antes dela uma moça mais forte que conseguiu passar. No entanto, quando ela fez a tentativa de passar na catraca acabou ficando presa. A cuidadora disse que falou com o motorista do ônibus que havia ficado travada. O condutor avisou que terminaria a rota e depois a levaria para o terminal.

Ao chegar no local, Rosimere foi retirada da catraca e encaminhada ao hospital. “Eu me senti um lixo”, desabafou a cuidadora de idosos. A SPTrans – São Paulo Transporte, informou que as pessoas que possuem massa corporal acima de 39,9 devem validar o Bilhete Único Especial Obeso.

Muitas pessoas ficaram revoltadas com o fato. Vários internautas debateram o assunto através das redes sociais. Alguns ressaltaram o fato de que as pessoas devem ter bom senso e mais compaixão com o próximo. Já que é visível a dificuldade apresentada pela pessoa, o responsável pelo veículo coletivo deveria autorizar a entrada da maneira que venha a facilitar a locomoção do passageiro.

Shyrlene Souza

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.