in

Torcedores do Atlético-MG citam Bolsonaro em ato homofóbico contra cruzeirenses: ‘Vai matar viado’, assista

Publicidade

O jogo entre Atlético e Cruzeiro, neste domingo (16), tinha tudo para ser um grande clássico. Mas a disputa acabou ganhando notoriedade, também, após um ato de desrespeito e homofobia cometido pela torcida do Galo. 

A partida no Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, teve uma música registrada em vídeo nas redes sociais, que acabou sendo deletada alguns instantes depois. O conteúdo da canção usava o nome do candidato à Presidência, Jair Bolsonaro, para incitar o ódio aos homossexuais. 

A letra cantada no vídeo dizia: "Ô cruzeirense, toma cuida, o Bolsonaro vai matar viado". A equipe de reportagem de vários veículos de comunicação estava no local quando a música foi entoada. O clássico entre os dois clubes terminou no 0 a 0.

Publicidade

A letra da música acabou roubando a cena nas redes sociais após o jogo. Um dos atleticanos estava com uma camisa estampando o rosto de Jair Bolsonaro, o que fomentou a discussão. Porém, nem todos os torcedores do Galo concordaram com a canção e, também nas redes sociais, milhares de postagens demonstravam a irritação por parte de alguns.

Torcedores de outros times também se manifestaram em torno do caso. Mosrando completo repúdio quanto à canção e ao discurso de ódio.

 

A canção de cunho preconceituoso em campo acabou gerando a revolta do grupo 'anti-homofóbico e anti-sexista', Galo Queer, que divulgou uma nota de repúdio nas redes sociais. Na publicação, o grupo espera que a diretoria do próprio clube Atlético Mineiro se pronuncie sobre o caso, repudiando o ato.

 

Segundo os organizadores do grupo, esse tipo de manifestação incita diretamente o assassinato de homossexuais. O Galo Queer lembrou o artigo 13 do Estatuto do Torcedor, que determina que não pode haver qualquer ato de violência no estádio, qualquer que seja a sua natureza; e ainda que não é permitido cânticos discriminatórios, racistas ou xenófobos.