in

Real número de membros no grupo Mulheres Unidas contra Bolsonaro não seria o divulgado

Publicidade

Essa semana viralizou na Internet a existência de um grupo no Facebook que bateu 1 milhão de membras, cujo o nome é Mulheres unidas contra Bolsonaro. O fato uniu muitas pessoas e acabou surpreendendo com a possível rejeição que o candidato a presidência apresentava no campo das mulheres.

Entretanto, a Folha fez um levantamento e afirmou que mulheres entraram sem saber no grupo, já que na política da rede social é permitido colocar qualquer amigo como membro do grupo, mesmo que ele não queira, assim podendo sair posteriormente do mesmo.

Assim como no WhatsApp, você está sujeito a ser inserido em grupos quando está utilizando as redes sociais do grupo Facebook, portanto a Folha resolveu levantar qual seria o número oficial das membras que realmente integraram quele grupo por vontade própria.

Publicidade

Para membros do grupo, mostram 1,2 milhões de participantes, porém este são os números de convidados somente, para os membros mostram 1 milhão membros, que é o real número de participantes do grupo.

“O número que as pessoas que estão no grupo enxergam contempla tanto as pessoas que fazem parte quanto as que foram apenas convidadas e não receberam o ‘ok’ das administradoras e as que ainda não optaram por participar”, disse o porta-voz do Facebook.

Jair Bolsonaro encontra-se, atualmente, internado no Hospital Israelita Albert Einstein após sofrer um atentado em seu ato de campanha em Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais, o que causou uma perfuração gravíssima na região de sua barriga, causando quase a morte do candidato, que foi submetido à duas cirurgias, uma de emergência há dois dias, e já apresenta um quadro estável.

Os eleitores de Bolsonaro se empolgam com o seu crescimento de quatro pontos percentuais na nova pesquisa IBOPE realizada sobre as eleições presidenciais de 2018.