in

Ciro Gomes faz críticas a Bolsonaro e chama o seu vice de ‘jumento’

Publicidade

O candidato Ciro Gomes (PDT) disse em uma entrevista realizada pelos jornais Valor Econômico, O Globo e pela revista Época, que o vice do presidenciável Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão, é um “jumento de carga”.

Ciro ainda fez questão de alegar que, caso seja eleito, os militares não poderão se quer, falar de política em seu governo. Quando perguntado sobre as declarações políticas realizadas recentemente pelo Comandante do Exército Brasileiro, Villas Boas, o candidato a presidência citou que ele demitiria o comandante e que, provavelmente, ainda seria preso.

O pedetista foi oposto às ideias de Hamilton Mourão de que os integrantes do Exército Brasileiro seriam profissionais da violência. Ciro Gomes disse que os combatentes do Exército são profissionais da defesa e da segurança.

Publicidade

Ao que tudo indica, o candidato do PDT estava realmente determinado a combater Jair Bolsonaro e aproveitou para realizar críticas sobre o gesto de simular duas armas nas mãos na cama do hospital. Ciro indagou se o presidenciável teria aprendido alguma coisa com o atentado que sofreu durante uma passeata em Minas Gerais.

No fim da entrevista, Ciro Gomes prometeu que sairia da política caso o candidato Jair Bolsonaro seja eleito. O pedetista disse que iria desejar boa sorte a ele e cumprimentá-lo pelo privilégio, mas que depois iria chorar e sair da política pois a sua razão de estar nela seria justamente a confiança no povo brasileiro.

Em resumo, o ex-governador do Ceará indicou que deseja em seu governo as Forças Armadas muito bem-armadas. No entanto, elas serão restritas as suas funções constitucionais e sob o seu comando.