in

Mãe vendia na internet programas adultos com a filha de 2 anos

Publicidade

Saber que uma mãe pode ser capaz de vender programa adulto com sua pequena filha de apenas 2 anos de idade é  considerado por muitos algo  repugnante. Pois infelizmente isso aconteceu e tal crime provocou comoção e revolta. As crianças se tornam presas fáceis para os predadores íntimos, principalmente quando se tornam moeda de troca, como foi o caso dessa pequena menina. 

Um crime asqueroso e brutal, porém, é bem mais comum do que se imagina. No mundo inteiro, crianças são abusadas intimimamente e a internet vem se tornando o palco de um show bizarro, no qual uma grande rede de pedófilos usa a deep web para compartilhar material inapropriado para promover atos criminosos.

De acordo com o portal de notícias online, R7, a mulher de 25 anos ofereceu sua filha de dois anos na Internet para que estranhos tivessem relação íntima com ela, os anúncios eram feitos em seu perfil do Facebook. A mãe cafetina foi identificada como Sarah Marie Peters, uma americana que morava na cidade de Montgomery, localizada no Texas, Estados Unidos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Presa e condenada

Informações colhidas pelo jornal New York Post, ao tomar conhecimento das postagens, policiais disfarçados encontraram Peters em uma rede social. Na sequência, ela teria enviado fotos da garotinha e perguntado se alguém gostaria de "se divertir com sua filha", o valor cobrado pelo programa era de 1.200 dólares.

Os policiais concordaram com o valor proposto e com as condições impostas pela a mulher, e marcaram um encontro que aconteceu no dia 22 de fevereiro. Ao levar a criança para o suposto programa, ela foi presa em flagrante delito, e continuou presa até seu julgamento.

O julgamento aconteceu nesta última quinta-feira (12), no Texas, no qual ela foi condenada a 40 anos de prisão pelo crime de promoção da prostituição. Sarah se declarou culpada e já foi encaminhada para um presídio da região. Sua filha foi colocada sob custódia do Estado de Serviços de Proteção à Criança dos EUA.

Ela foi condenada a 40 anos de prisão por tentar vender sexo com a filha. (Foto: Divulgação/Gabinete do Xerife do Condado de Montgomery)

Posted by Direto da Redação on Sunday, July 15, 2018

DENUNCIE – DISQUE 100

Saiba a quem recorrer em caso de suspeita de violência sexual infanto-juvenil:
Conselhos Tutelares – Os Conselhos Tutelares foram criados para zelar pelo cumprimento dos direitos das crianças e adolescentes. A eles cabe receber a notificação e analisar a procedência de cada caso, visitando as famílias. Se for confirmado o fato, o Conselho deve levar a situação ao conhecimento do Ministério Público.

Varas da Infância e da Juventude – Em município onde não há Conselhos Tutelares, as Varas da Infância e da Juventude podem receber as denúncias. 

Outros órgãos que também estão preparados para ajudar são as Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente e as Delegacias da Mulher. (Fonte: Unicef).

Publicidade
Publicidade