in

Monstro: suspeito de estuprar grávida e fazê-la perder o bebê recebe castigo

Publicidade

A violência contra a mulher no Brasil ganhou mais um capítulo. Uma mulher grávida foi brutalmente estuprada e acabou perdendo o bebê que trazia em seu ventre. Um caso chocante que comoveu a população de Manaus, capital do estado do Amazonas.

Grávida foi cruelmente estuprada

O suspeito identificado como Márcio Romero do Nascimento Silva, de 30 anos, é acusado de estuprar uma mulher de 34 anos, que estava grávida. De acordo com as investigações da Polícia Civil, ele já vinha observando a vítima, chegou a convida-la para fazer sexo, mas a mulher recusou.

No dia em que ele cometeu tal atrocidade, a gestante passava em frente a um terreno baldio, quando foi atacada por Márcio, ele a arrastou para o local ermo. A vítima desmaiou e, quando acordou, o homem já estava cometendo o estupro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Os agentes de segurança disseram que o crime aconteceu na madrugada do dia 20 de maio deste ano, por volta de 2h30, na avenida Noel Nutels, bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital amazonense. Câmeras de segurança de uma drogaria flagraram o momento em que suspeito, Márcio, comprava preservativos para cometer o estupro.

Aborto e captura do criminoso

A vítima precisou ficar internada por nove dias e, infelizmente, acabou perdendo o bebê. Ela estava com 12 semanas de gestação. O delegado Ricardo Cunha, titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e responsável pelas investigações, informou que o criminoso estava sendo procurado pela polícia e era considerado foragido.

Porém, ele revelou que, quando as fotos de Márcio começaram a circular na imprensa, ele foi reconhecido e, através de uma denúncia anônima, foi encontrado e capturado no último dia 25 de junho no município de Juruti, no estado do Pará. Atrás das grades, o homem não é mais um risco para a sociedade e terá o castigo que merece.

O criminoso já foi transferido para Manaus, onde foi indiciado por estupro e conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficará à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade