in

Polícia encontra gêmeos de 3 anos presos em caixote de madeira, caso causa comoção

Publicidade

Um caso chocante comoveu a população da cidade de Santa Teresa, localizada na região serrana do estado do Espírito Santo. Duas crianças de 3 anos, irmãos gêmeos, foram encontrados presos dentro de um caixote de madeira na casa onde moram com os pais e um irmão de 15 anos, na zona rural de Santa Tereza.

De acordo com a Polícia Militar, as crianças foram regatadas na tarde da terça-feira (10). Policiais militares e agentes do Conselho Tutelar foram até a residência onde as crianças eram mantidas presas, depois de receberem uma denúncia anônima.

As crianças estavam dentro do caixote que tem o tamanho de um berço, porém, é divido ao meio por um pedaço de madeira, de forma que as crianças ficassem separadas. Além disso, a caixa possui uma tampa de madeira que era trancada com corrente e cadeado. Os agentes ressaltaram que não existia travesseiro, cobertor, ou qualquer outro objeto que oferecesse o mínimo de conforto para os irmãos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Gêmeos ficavam presos em caixa de madeira

Segundo Iraci Carlini, que trabalha na Secretária Municipal de Assistência Social de Santa Tereza, os gêmeos estão bem de saúde, estão em um abrigo da prefeitura e estão sob os cuidados da justiça. Iraci revelou que as crianças estão recebendo o atendimento necessário, se alimentando bem e demonstram saudades da família. O irmão de 15 anos está sob os cuidados dos avós paternos.

Carlini revelou que uma equipe da Assistência Social, foi até a casa dos pais dos gêmeos e ouviram os dois. De acordo com o casal, as crianças ficavam presas dentro do caixote, que foi construído pelo pai, para evitar que elas fossem atropeladas, já que em frente à residência existe uma estrada bastante movimentada.

A mãe das crianças relatou que elas ficavam apenas algumas horas dentro do caixote, o que representava apenas tempo necessário para que ela realizasse as tarefas diárias e que, por isso, o caixote ficava na cozinha onde ela passa a maior parte do tempo. Iraci afirmou que, para os pais das crianças, tal situação é totalmente natural.

O casal foi encaminhado para a delegacia de Aracruz (ES), na terça-feira, onde prestaram depoimento e foram liberados em seguida. O caso está correndo sobre segredo de justiça e é tratado como maus-tratos infantil.

Publicidade
Publicidade