in

Bebê quase falece depois de receber visita de alguém com doença ‘simples’

Publicidade

Ashley Conklin teve momentos dolorosos depois de conceber o seu filho, cujo nome é Oliver, destaca-se que ela passou por alguns dias na sua residência adaptando-se a uma nova rotina, a jovem necessitou retornar apressadamente para o hospital após o bebê de 9 dias sentir dificuldades em respirar. Passando dois dias, a criança recebeu o diagnóstico de estar com VSR (vírus sincicial respiratório), a doença em seguida se agravou virando bronquiolite e pneumonia.

A circunstância se transformou ainda mais complexa devido ao recém nascido ter sido gerado na temporada de gripe nos EUA. Depois do tratamento da criança ter sucesso, Ashley publicou um vídeo nas maiores redes sociais exibindo a crise respiratório que atingiu o pequeno. Sabe-se que o menino sofreu forte risco de vida, todavia não morreu.

Assim, a genitora fez a seguinte afirmação: "Ele ficou assim por causa de um resfriado que alguém trouxe a nossa casa enquanto visitava nosso bebê. Eu queria que todos os meus amigos vissem não apenas o quão perigoso é ir a casa de alguém quando se está resfriado, mas que isso é real e também poderia acontecer com o filho deles".

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A mãe notou que existia algo estranho com o filho depois de verificar que ele encontrava-se com muito catarro, além disso a pele da sua clavícula e barriga eram sugadas no momento em que o pulmão tentava obter ar. No instante que Ashley resolveu ligar para o pediatra com o objetivo de informar o ocorrido, sabe-se que enviou um vídeo relatando os fatos para uma amiga enfermeira, que orientou levar a criança urgentemente para o hospital.

Ashley já havia escutado que bebês estavam sendo hospitalizados, todavia pensou estar tendo uma preocupação em excesso em razão de ter se virado mãe recentemente. Entretanto quando foi para o hospital, soube que não era um simples resfriado. A mãe relatou: "Me disseram que, se eu tivesse esperado 24 horas, ele poderia ter morrido".

Segundo profissionais da saúde, não existe maiores problemas em tocar nas mãozinhas de crianças pequenas. Mas alertam para a importância em garantir que as mãos estejam bastantes limpas, sendo lavadas com uma quantidade relevante de água e sabão.

Publicidade
Publicidade