in

Após vídeo beijando outro homem vazar, soldado da Polícia Militar recebe ameaças de morte

Publicidade

Leandro Prior, um soldado da Polícia Militar de São Paulo, pediu para se afastar de suas funções na última sexta-feira (29), após a divulgação de um vídeo em que ele aparece dando um "selinho" em um jovem dentro do vagão de trem da linha 3-Vermelha do Metrô do estado de São Paulo.

O real motivo para que ele fizesse o pedido de afastamento foram as reações e comentários que foram feitos contra ele nas redes sociais em que o vídeo foi postado. Ao se pronunciar sobre o caso através de uma entrevista concedida para o 'G1' através do telefone, o soldado diz que o vídeo postado e os comentários acabaram com sua vida, pois está passando por acompanhamento médico além de ter se afastado de suas funções na Polícia Militar.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

O soldado continuou a entrevista dizendo que os problemas da divulgação do vídeo não é o fato de estar sofrendo homofobia, mas sim as ameaças de morte que vem sofrendo constantemente, Leandro teme que a divulgação de seu vídeo venha a atrapalhar sua carreira como soldado no futuro.

O policial está na corporação há 4 anos e quem acompanha suas redes sociais vê o quanto ele ama e se dedica ao trabalho que faz. Para finalizar a entrevista, Leandro contou aos prantos que quer continuar trabalhando. Desde o último dia 30 de junho o rapaz está internado em uma clinica de repouso enquanto seu advogado segue tomando as providências cabíveis em relação ao caso dele.

Em um comunicado oficial a Polícia Militar de São Paulo informou que Leandro está afastado por recomendações médicas do próprio instituto médico que o serviço disponibiliza e acrescentou dizendo que as mensagens com conotação homofóbicas que foram feitas nas redes sociais estão sendo apuradas.

O advogado de Leandro informou que se tudo correr como o esperado ele deverá retornar ao trabalho no dia 11 de julho.

 

Publicidade
Publicidade